Saltar para o conteúdo principal da página

Piscinas de Marés de Leça da Palmeira - detalhe

Designação

Designação

Piscinas de Marés de Leça da Palmeira

Outras Designações / Pesquisas

Piscinas de Marés de Leça da Palmeira (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Piscina

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Matosinhos / Matosinhos e Leça da Palmeira

Endereço / Local

Avenida da Liberdade
Leça da Palmeira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 16/2011, DR, 1.ª série, n.º 101, de 25-05-2011 (ver Decreto)
Procedimento prorrogado até 31-12-2011 pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de homologação de 30-11-2010 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 28-10-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Deliberação de 26-07-2006 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como MN
Despacho n.º 20/2004, de 5-02-2004 do presidente do IPPAR a determinar a abertura da instrução do processo de classificação

ZEP

Portaria n.º 608/2012, DR, 2.ª série, n.º 206, de 24-10-2012 (sem restrições) (ZEP da Casa de Chá da Boa Nova e das Piscinas de Marés de Leça da Palmeira) (ver Portaria)
Parecer de 9-05-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor o estabelecimento de duas ZEP individuais, mas coincidentes, dada a orientação da tutela no sentido de não poderem ser estabelecidas ZEP conjuntas
Despacho de homologação de 30-11-2010 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 28-10-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR. I.P. a propor a fixação de uma ZEP conjunta deste imóvel e da Casa de Chá da Boa Nova
Proposta de 10-09-2009 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

BIBLIOGRAFIA: in revista "ARQUITECTURA", Março- Abril 1967, nº 96, pp. 64-67 e 72-74. "A construção desenvolve-se de forma linear, paralela à avenida e ao mar, mas a sua implantação recolhe-se de forma a não obstruir a visão, quer terrestre, quer marítima, situando-se, assim, o nível da cobertura ao nível da avenida. Com uma estruturação que se insere na sequência contínua do muro da praia, o sistela de acessos é um percurso disciplinado pela presençã dos muros de "betão bruto", ao longo do qual algumas transgressões da ortogonalidade e linearidade dominantes induzem o olhar para pontos focais da paisagem, ao mesmo tempo que uma série de paredes se dobram e curvam de forma abrupta, preparando o utente para a experiência do espectáculo da paisagem e para a utência do espaço das piscinas." (texto de Ana Tostões, inserido na exposição Arquitectura Moderna Portuguesa, IPPAR, 2001)

Imagens

Bibliografia

Título

Arquitectura Moderna Portuguesa 1920-1970. Um Património a Conhecer e Salvaguardar

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

AA.VV.

Título

Os Verdes Anos na Arquitectura Portuguesa dos Anos 50

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Arquitectura Moderna e Obra Global a partir de 1900

Local

Porto

Data

2009

Autor(es)

TOSTÕES, Ana