Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte Romana de Peroviseu - detalhe

Designação

Designação

Ponte Romana de Peroviseu

Outras Designações / Pesquisas

Ponte Romana de Pêro Viseu (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Fundão, Valverde, Donas, Aldeia de Joanes e Aldeia Nova do Cabo

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada sobre a ribeira da Meimoa a cerca de 12 quilómetros do Fundão, na estrada que liga as Freguesias de Valverde e Peroviseu, é um exemplo de uma obra da tradição da arquitectura civil romana.
Nesse período encontrar-se-ia no limite de uma civitas, facto atestado por um marco territorial (terminus augustalis) encontrado perto da localidade, de que actualmente só se conhece cópia. De acordo com a inscrição, seria aí o limite Norte de Igaeditania (Idanha-a-Velha), que se confrontaria com o limite Sul da civitas dos Lancienses Transcudani.
O topónimo que actualmente denomina a localidade será eventualmente uma referência a Pêro da Covilhã, também conhecido como Pêro de Viseu, que aqui viveu. Ponte simétrica em granito, com três arcos de volta perfeita com aduelas bem aparelhadas, dispostas em cunha, sendo o central o de maior vão. Os dois talhamares encontram-se bem integrados na estrutura sendo constituídos por silhares bem aparelhados. O tabuleiro da ponte é plano, sendo ainda visíveis vestígios lajes da antiga calçada e as suas guardas são blocos paralelepípedos de granito.
Na envolvente foram encontrados vários vestígios da época romana, como cerâmica de construção e de uso comum e inscrições que se encontram depositadas no Museu José Monteiro do Fundão.
Terá sofrido trabalhos em finais do século XVII, sendo referenciada nas Memórias Paroquiais de 1758. (JAM)

Imagens

Bibliografia

Título

Roman Portugal

Local

Warminster

Data

1988

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.