Saltar para o conteúdo principal da página

Casa Velha - detalhe

Designação

Designação

Casa Velha

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Albergaria-a-Velha / Angeja

Endereço / Local

Rua do Comércio
Angeja

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIM - Monumento de Interesse Municipal

Cronologia

Edital n.º 592/2017, DR, 2.ª série, n.º 159, de 18-08-2017 (ver Edital)
Deliberação de 7-06-2017 da CM de Albergaria-a-Velha a aprovar a classificação como MIM
Em 16-05-2017 foi dado conhecimento do despacho à CM de Albergaria-a-Velha
Despacho de concordância de 19-04-2017 da diretora-geral da DGPC
Informação favorável de 23-09-2016 da DRC do Centro
Pedido de parecer de 29-06-2016 da CM de Albergaria-a-Velha sobre a classificação como MIM
Edital n.º 395/2016, DR, 2.ª série, n.º 87, de 5-05-2016 (ver Edital)
Deliberação de 6-04-2016 da CM de Albergaria-a-Velha a determinar a abertura do procedimento de classificação como MIM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Encontrando-se na rua principal de Angeja, junto à igreja matriz de Nossa Senhora das Neves que foi fundada nos finais do século XVII, a designada "Casa Velha" corresponde antes a um conjunto formado por dois imóveis de proporções e desenho idêntico cuja pintura a branco das fachadas e o verde das portas confere uma grande uniformidade. No seu todo os dois edifícios configuram uma planta retangular de dois pisos, cujas fachadas voltadas à Rua do Comércio ostentam, ao centro de cada uma delas, uma entrada nobre sobre a qual se sobrepõe uma janela de sacada ladeada por duas janelas de peito e aro de madeira em guilhotina. As janelas de sacada, por sua vez, estão protegidas por guardas em ferro forjado que, certamente, já não correspondem às originais, tendo em conta a tipologia da base em cantaria nitidamente mais antiga.
Relativamente ao piso inferior, observa-se uma sucessão de portas idênticas, quatro no edifício mais a Sul e duas no imóvel que se localiza do lado Norte, sendo que, na fachada voltada a Norte, se observa um remate em pilastra, bem como uma janela arquitravada entretanto entaipada, parecendo corresponder ao setor mais antigo do conjunto.
As traseiras dos edifícios dão diretamente para um campo aberto, área que deverá pertencer ao espaço de uma antiga, e importante quinta de Angeja.

História
Tendo em conta a proporção e o desenho dos vãos que ostentam já uma certa erudição, este conjunto deverá ter origem no século XVIII ou mesmo XVII.

Maria Ramalho/DGPC/2020.