Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Moradia na Avenida da Torre de Belém, 15 - detalhe

Designação

Designação

Moradia na Avenida da Torre de Belém, 15

Outras Designações / Pesquisas

Inventário Temático Norte Júnior 1930-1947 (Ver Inventário Temático Norte Júnior)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

Norte Júnior

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Belém

Endereço / Local

Avenida da Torre de belém
Lisboa

Número de Polícia: 15

Proteção

Situação Actual

Sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Abrangido pela zona especial de proteção da Torre de São Vicente de Belém / Torre de Belém, classificada como MN - Monumento Nacional pelo Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (classificou com a designação de Torre de São Vicente de Belém) (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Implantada na principal artéria do Bairro do Restelo, em Lisboa, esta moradia situada no número 15 da Avenida da Torre de Belém foi edificada entre 1946 e 1948, durante a primeira fase de construção do plano urbanístico da encosta da Ajuda. De planta retangular irregular, a casa é rodeada de um espaço verde, integrando um pequeno jardim à esquerda. Dividida em três pisos, o desenho original da moradia segue o paradigma da casa portuguesa, recriando um modelo neo-barroco que se denota no frontão contracurvado com pináculos da fachada principal, nos painéis de "azulejos artísticos", no alpendre que antecedia originalmente a porta de entrada ou no varandim que simulava uma loggia no pisos superior. Atualmente, estes elementos característicos da casa foram adulterados, nomeadamente o varandim e os alpendres fronteiro e traseiro, que foram fechados.
O interior divide-se em duas grandes áreas, a do piso térreo destinada aos espaços de convívio e lazer, com sala, escritório e zona de jantar, e aos serviços, nomeadamente o quarto da "creada", e a do piso superior reservada às divisões privadas. Nas traseiras da casa, junto à cerca do jardim, foram edificados três anexos, a "garage", o lavadouro de roupa e os galinheiros, ao lado dos quais foi aberto um poço.
História
No ano de 1946 António Marques Gaspar pedia deferimento à Câmara de Lisboa para edificar "uma moradia no seu terreno lote nº 4, situado na Avenida CD e Rua VI do Bairro Residencial da Ajuda", apresentando um projeto de Manuel Joaquim Norte Júnior. Com algumas alterações em termos de medidas face à primeira planta apresentada, a construção prosseguiu ao longo de dois anos, concluindo-se no início de 1948.
Esta moradia integra um conjunto de cinco vivendas projetadas por Norte Júnior para o Bairro do Restelo. Afastando-se do seu ambiente natural, a arquitetura das Avenidas Novas, de feição eclética e marcada pelas correntes decorativistas francesas do início do século, o arquiteto responde ao gosto da clientela burguesa que, influenciada pelos escritos de Raul Lino e pela ambiência política do tempo, desejava ver posta em pedra "uma certa imagem tradicional portuguesa" (ALMEIDA: 2013, p. 242).
Em conjunto com a moradia vizinha, também por ele projetada, esta casa familiar concretizou um certo gosto barroco, que pretendia não apenas recriar o tradicionalismo tão em voga na época mas procurava, também, dar algum enobrecimento urbanístico ao novo bairro da Lisboa ocidental.
Catarina Oliveira
DGPC, 2015

Imagens

Bibliografia

Título

Arquivo Municipal de Lisboa, Obra n.º 13849

Local

Lisboa

Data

1946

Autor(es)

-

Título

Bairro(s) do Restelo. Panorama urbanístico e arquitectónico.

Local

Lisboa

Data

2013

Autor(es)

ALMEIDA, Patrícia Beirão da Veiga Bento d'

Título

Norte Júnior: obra arquitectónica, Tese de Mestrado em História da Arte.

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

PAIXÃO, Maria da Conceição Ludovice