Saltar para o conteúdo principal da página

Aldeia de Cerdeira - detalhe

Designação

Designação

Aldeia de Cerdeira

Outras Designações / Pesquisas

Povoação da Cerdeira / Aldeia da Cerdeira (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Lousã / Lousã e Vilarinho

Endereço / Local

- -
Cerdeira

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação para CIM - Conjunto...

Cronologia

(Aguarda a fixação de restrições para se poder registar a classificação)
Edital n.º 543/2015, DR, 2.ª série, n.º 117, de 18-06-2015 (ver Edital)
Deliberação camarária de 1-06-2015 a aprovar a decisão final de classificação como CIM
Edital n.º 165/2015, DR, 2.ª série, n.º 44, de 4-03-2015 (ver Edital)
Deliberação camarária de 2-02-2015 a aprovar a abertura do procedimento de classificação como CIM
Em 14-01-2015 foi dado conhecimento do despacho de arquivamento à CM da Lousã, sugerindo que proceda à publicação de cinco classificações, por se tratar de cinco aldeias
Despacho de arquivamento de 6-10-2014 do diretor-geral da DGPC
Proposta de 29-09-2014 da DRC do Centro para arquivamento do procedimento de âmbito nacional
Edital n.º 372/2014, DR, 2.ª série, n.º 88, de 8-05-2014, da CM da Lousã (ver Edital)
Pedido de parecer de 5-05-2014 da CM da Lousã sobre a eventual classificação como CIM
Deliberação camarária de 21-04-2014 a determinar a abertura do procedimento de classificação como CIM (aldeias do Candal, Casal Novo, Cerdeira, Chiqueiro e Talasnal)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada numa encosta da Serra da Lousã, a Aldeia de Cerdeira desenvolve-se ao longo da margem da Ribeira da Cerdeira, com o casario disposto em anfiteatro ao longo da vertente da serrania.
O pequeno povoado é composto por casas de xisto, cobertas por telha de canudo, que se dividem em dois andares, com o piso cimeiro, originalmente formado por uma divisão com soalho de madeira, destinada a habitação, e o térreo, utilizado como curral ou armazém agrícola. Algumas das habitações apresentam um alpendre na fachada, ao nível do registo superior.
No conjunto edificado destacam-se a fonte de espaldar, situada junto à ribeira e edificada pela Câmara da Lousã em 1938, e a Capela de Nossa Senhora de Fátima, um pequeno templo com portal alpendrado, ladeado por duas janelas e com empena rematada por sineira, edificado na década de 50 do século XX.
A aldeia possui ainda uma curiosa Alminha, na parede de uma das casas, que exibe um ex-voto dedicado ao "Milagre que fez o Senhor dos Aflitos à aldeia de Cerdeira, que não a deixou morrer", aludindo à resistência da povoação no tempo das Invasões Francesas.
História
Desconhecem-se as origens da Aldeia de Cerdeira mas, tal como as outras aldeias de xisto da Lousã, terá fundação remota, uma vez que na Idade Média já se registava documentalmente a existência dos povos da Serra. É possível que estas povoações implantadas nas escarpas serranas em pequenas casas feitas de xisto, que viviam da pastorícia e da agricultura de subsistência, derivem de grupos ligados à transumância que à medida do tempo se foram fixando. Para além das atividades agro-pecuárias, os habitantes da serra dedicavam-se também à apanha de lenha e produção de carvão, que era depois vendido na Lousã e em Miranda do Corvo.
No entanto, a economia local instável e precária determinou que os serranos encetassem os primeiros movimentos migratórios na Idade Moderna, primeiro com destino à vila da Lousã, depois para o Alentejo, e por fim, nos últimos anos de Oitocentos, para Lisboa. No início do século XX, muitos habitantes destas aldeias imigraram rumo ao continente americano, nomeadamente para o Brasil e os Estados Unidos. Em consequência, estas aldeias foram assistindo a um progressivo decréscimo do seu número de habitantes, culminando com o despovoamento em meados da década de 80 da mesma centúria.
A partir de finais dos anos 90, as aldeias de xisto da Lousã foram sendo gradualmente povoadas por novos habitantes, sobretudo estrangeiros, que procuraram reanimar a vida económica, social e cultural destas povoações. Graças a este repovoamento, e à integração da localidade na rede Aldeias do Xisto, a Aldeia de Cerdeira foi revitalizada com a reconstrução de diversas habitações, adaptadas ao turismo rural, e a abertura de um centro de artesanato.
Catarina Oliveira
DGCP, 2016

Bibliografia

Título

A Lousã e o seu concelho

Local

-

Data

-

Autor(es)

LEMOS, Álvaro Viana de

Título

A Serra da Lousã. Do povoamento à desertificação., Arunce, Revista de Divulgação Cultural, n.º 2 - 2.º semestre

Local

Lousã

Data

1989

Autor(es)

CALDAS, Eugénio Castro

Título

Aldeias da Serra da Lousã, Arunce, Revista de Divulgação Cultural, n.º 2 - 2.º semestre

Local

Lousã

Data

1989

Autor(es)

OSÓRIO, António Crespo, HENRIQUES, Manuel F. Louzã, ALVES, Rui M. Vaz

Título

Etnografia da Serra da Lousã, Arunce, Revista de Divulgação Cultural, n.º 2 - 2.º semestre

Local

Lousã

Data

1989

Autor(es)

HENRIQUES, Manuel F. Louzã

Título

Lousã, a terra e as gentes

Local

Lousã

Data

1985

Autor(es)

DIAS, Pedro, REBELO, Fernando

Título

Vila da Lousã e seu termo

Local

Lousã

Data

1936

Autor(es)

MEXIA, Fernando de Magalhães