Saltar para o conteúdo principal da página

Prédio na Rua Dr. Aresta Branco, n.os 20 a 28 - detalhe

Designação

Designação

Prédio na Rua Dr. Aresta Branco, n.os 20 a 28

Outras Designações / Pesquisas

-

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Beja / Beja (Salvador e Santa Maria da Serra)

Endereço / Local

Rua Dr. Aresta Branco
Beja

Número de Polícia: 20-28

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIM - Monumento de Interesse Municipal

Cronologia

Aviso n.º 2714/2020, DR, 2.ª série, n.º 34, de 18-02-2020 (ver Aviso)
Deliberação de 18-12-2019 da CM de Beja a classifficar o imóvel como MIM
Aviso n.º 13036/2019, DR, 2.ª série, n.º 156, de 16-08-2019 (ver Aviso)
Despacho de 25-03-2019 do Vereador do Pelouro do Urbanismo da CM de Beja a determinar a abertura do procedimento de classificação como MIM
Enviada cópia do processo à CM de Beja em 31-12-2013 para a ponderação de classificação como de IM
Despacho de arquivamento de 17-12-2013 da diretora-geral da DGPC
Proposta de arquivamento de 13-12-2013 da DRC do Alentejo
Proposta de classificação de 9-07-2013 da CM de Beja após requerimento do proprietário

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

«Datado de meados do século XIX, foi mandado construir pelo Conselheiro Francisco Ignácio de Mira, onde sempre residiu com a sua esposa e filhos.
O conselheiro Ignácio de Mira foi uma figura proeminente da cidade de Beja da segunda metade do século XIX. Formou-se em direito na Universidade de Coimbra, foi professor e posteriormente Reitor no Liceu de Beja. Desempenhou funções de magistrado e Conselheiro do rei e, em 1900, foi nomeado Governador Civil efectivo do Distrito de Beja.
Este imóvel foi edificado sobre uma estrutura medieval de que ainda hoje é possível ver alguns vestígios. Distribuído por três pisos, o seu interior é amplo, construído de forma a providenciar o máximo de luz natural em todas as dependências, para o que também contribui a clarabóia no centro da casa. Algumas salas possuem estuques trabalhados por mestres vindos de Lisboa.
A fachada deste edifício apresenta um aspecto arquitectónico muito leve e gracioso, com a junção de elementos provenientes de vários estilos, de onde sobressaem as janelas ogivais, dando uma marca notoriamente italiana a todo o edifício.
O conjunto da fachada revela a inspiração nos palacetes venezianos e traduz-se numa delicada harmonia. Trata-se sem dúvida de um edifício de características únicas e notáveis, que possui elementos também únicos na cidade e que por isso contribui para o seu enriquecimento e valorização.»
Requerimento Inicial do Procedimento de Classificação, Câmara Municipal de Beja, 2013