Saltar para o conteúdo principal da página

Quinta do Salgueiro ou Casa do Barão de Salgueiro - detalhe

Designação

Designação

Quinta do Salgueiro ou Casa do Barão de Salgueiro

Outras Designações / Pesquisas

Casa do Salgueiro e Capela de Nossa Senhora do Rosário / Casa do Barão de Salgueiro (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Leiria / Santa Catarina da Serra e Chainça

Endereço / Local

Rua do Barão de Salgueiro
Santa Catarina da Serra

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIM - Monumento de Interesse Municipal

Cronologia

Edital N.º 43/2014 de 7-05-2014 da CM de Leiria
Deliberação camarária de 21-05-2013 a determinar a classificação como MIM
Despacho de arquivamento de 18-02-2013 da diretora-geral da DGPC
Proposta de 12-02-2013 da DRC do Centro para o arquivamento do procedimento e envio do processo à CM para a ponderação da classificação como de IM
Requerimento de classificação de 14-08-2012 da CM Leiria

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada a Norte da vila de Santa Catarina da Serra a Quinta do Barão de Salgueiro integra-se numa paisagem ainda com caraterísticas rurais, possuindo áreas de cultivo e de floresta que, no entanto, são interrompidas por construção dispersa e algo desordenada, incluindo algumas zonas industriais.
A propriedade encontra-se rodeada pelo que resta de uma antiga cerca construída em silhares de pedra integrando, ainda hoje, uma exploração agrícola.
Junto à estrada e ao perímetro murado com maior expressão, vislumbra-se um conjunto edificado onde se destaca uma antiga Casa Senhorial. Um pouco mais a Sudoeste existe, também, um conjunto de estruturas de apoio à agricultura.
O imóvel principal apresenta uma planta em L de dois pisos separados por friso corrido onde, em todas as fachadas, se abrem molduras de vãos de cantaria decorada. Apresenta cobertura de quatro águas no corpo virado à estrada Barão de Salgueiro, e de duas águas no corpo perpendicular. O edifício é percorrido na totalidade por cornija em alvenaria moldurada, surgindo os cunhais bem marcados a delimitar as fachadas. A entrada principal no edifício é feita atravessando o muro da propriedade acedendo-se, depois, a uma escadaria dupla que ligava ao piso superior. A este nível distribuem-se um conjunto de salas e quartos, bem como uma cozinha com lareira, sendo de destacar algumas janelas com conversadeiras. A sala principal, para além de um interessante teto em caixotões de madeira, apresentava, em 2012, uma decoração a stencil com um padrão floral distribuído em bandas.
Ao nível do rés-do-chão, cujas funções se relacionavam diretamente com a atividade de exploração agrícola, as áreas eram divididas em duas zonas distintas: uma zona de adega e de lagar de vinho com três cubas, uma estrutura de tanque com prensa e uma pia para recolha do mosto, e uma segunda zona com áreas destinadas a estábulo e arrecadação de alfaias agrícolas.
Quanto às restantes dependências agrícolas localizadas mais a Sul, tratam-se de construções em alvenaria de calcário destinadas ao armazenamento de produtos e ao alojamento de animais, possuindo ainda, algumas delas, as respetivas manjedouras. Numa destas construções é ainda visível uma coluna de secção circular típica das estruturas dos celeiros existentes no concelho de Leiria.
Originalmente a capela da Virgem Santíssima do Rosário que se encontra do outro lado da estrada em frente ao Solar, pertencia à propriedade. No interior do frontão que se encontra sobre o portal de entrada no pequeno templo foi inscrita a data de 1727.

História
A Quinta de Salgueiro que foi constituída em 1758 pertenceu, inicialmente, ao Padre Jorge Pereira integrando, na época, a Capela do Rosário. Mais tarde, já no século XIX, a quinta passaria para as mãos de Manuel José de Pinho Soares de Albergaria a quem foi atribuído, pelo rei D. Luís I (decreto de 10-12-1864), o título de 1.º Barão de Salgueiro. Nascido em 1799, Manuel de Albergaria era filho de Domingos José de Pinho e de Ana Joaquina Soares de Albergaria Leite, tendo casado com Maria Benedita de Faria e Vasconcelos com a qual teve quatro filhos, entre os quais José de Faria Pinho e Vasconcelos Soares de Albergaria, 2.º Barão de Salgueiro que foi deputado da Nação e Governador Civil do Distrito de Leiria.

Maria Ramalho/DGPC/2018 com base no processo de classificação da Direção Regional de Cultura do Centro (12/10-09-22-XIII).

Imagens