Saltar para o conteúdo principal da página

Gruta da Casa da Moura - detalhe

Designação

Designação

Gruta da Casa da Moura

Outras Designações / Pesquisas

-

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Óbidos / Olho Marinho

Endereço / Local

Planalto dos Charnais
Cesaredas

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Despacho de arquivamento de 27-07-2011 do Director do IGESPAR, IP
Proposta de arquivamento de 15-07-2011 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo, por não possuir valor nacional
Proposta de classificação 10-02-2011 da CM de Óbidos

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Gruta da Casa da Moura é uma cova subterrânea de formação natural e de boas dimensões (44m de comprimento e 27m de largura máximas), aberta em rocha calcária, e situada na zona superior do Planalto da Cesaredas, em Olho Marinho, concelho de Óbidos.
Além de abrigar diversas formações naturais, como colunas de estalagmites e estalactites ou vestígios fósseis, e uma colónia de morcegos de importância nacional (devidamente protegida e monitorizada), o local tem considerável interesse arqueológico. As primeiras sondagens, ainda datadas de 1865, permitiram reconhecer depósitos funerários de materiais e ossadas do neolítico e do calcolítico, para além dos primeiros vestígios osteológicos humanos com anatomia moderna do Plistoceno, como uma caixa craniana de tipo moderno encontrada três anos antes dos esqueletos de Cro-Magnon. Estas escavações figuram de resto entre as primeiras levadas a cabo na Península Ibérica.
As sucessivas ocupações do local, que funcionou como necrópole a partir do Neolítico, forneceram, desta forma, materiais datando entre o Plistoceno (Gravettense, Solutrense e Magdalenese) e a Idade do Bronze. Os vestígios encontrados, incluindo materiais faunísticos, utensílios líticos e em osso, ossadas e alguns materiais cerâmicos e metálicos, encontram-se depositados em diversos museus, em Portugal e no estrangeiro (no Ashmolean Museum of Art and Archaeology, em Oxford).
A Gruta da Casa da Moura está situada numa área rica em sítios arqueológicos da Pré e Proto-história, onde abundam igualmente formações calcárias e fósseis marinhos do Jurássico Médio, e encontra-se integrada na Reserva Ecológica Nacional do Concelho de Óbidos. A entrada para as salas está vedada, para protecção da colónia de morcegos que aí hiberna e procria.
Sílvia Leite/DIDA-IGESPAR, IP/2011