Saltar para o conteúdo principal da página

Cine-Teatro de Fafe - detalhe

Designação

Designação

Cine-Teatro de Fafe

Outras Designações / Pesquisas

Cine-Teatro de Fafe (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Cine-Teatro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Fafe / Fafe

Endereço / Local

Rua Monsenhor Vieira de Castro
Fafe

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construído em 1923 e inaugurado no ano seguinte, o Cine-Teatro de Fafe faz parte de um conjunto de teatros de raiz italiana, que beneficiou de uma larga experiência na edificação deste género de equipamentos, revelando, por isso mesmo, uma maior qualidade construtiva e decorativa (CARNEIRO, 2002, p. 839).
Integra-se numa frente urbana onde não se destaca excessivamente, apesar da pintura decorativa de cariz neoclássico que caracteriza a sua fachada principal. Neste mesmo local existiu, desde 1881, um outro teatro, e o facto da fachada se integrar no conjunto de habitações que a rodeiam, edificadas no último quartel do século XIX, pode sugerir que esta foi recuperada do anterior teatro, apenas se acrescentando as pinturas murais que lhe conferem uma maior actualidade (IDEM, p. 1107).
Esta é, aliás, uma das características que mais distinguem o edifício, à qual se junta a decoração do interior da sala de espectáculos ou dos espaços nobres, a revelar grande sofisticação, em contraste com outras zonas bastante mais simplificadas. De acordo com a leitura de Luís Carneiro (2002, p. 1108), esta opção relaciona-se com uma estratégia de afirmação por parte do seu promotor, José Summavielle Soares, que pretendia granjear prestígio através da imponência da decoração deste equipamento. Na verdade, numa localidade com as dimensões de Fafe as estratégias de sedução e atracção do público não eram tão necessárias, pois o número de salas de espectáculos era muitíssimo reduzido.
Ainda de acordo com o mesmo autor, esta sala segue um modelo que teve por base o teatro São João, do Porto, apesar de não se respeitar na íntegra o projecto inicial, que foi simplificado (os desenhos encontram-se na IGAC - código 03.07.0001).
A fachada principal é seccionada por pilastras recticuladas, que a dividem em três corpos, o central mais reduzido. É aberto pela porta em arco de volta perfeita, como aliás todos os restantes vãos, com uma janela de sacada, no piso superior, assente sobre volutas, e é rematado por frontão semicircular. Os panos laterais são marcados por duas portas, de acesso à Plateia e Geral, a que corresponde igual número de janelas no piso superior. O alçado é decorado por pinturas neoclássicas, de flores, grinaldas e outras figuras.
No interior, a sala de espectáculos, de planta em U, é formada pela plateia, com a geral em seu redor e duas ordens de camarotes. O palco, da largura do imóvel, esconde os camarins e os arrumos que se desenvolvem atrás.
Em 1960 terminaram as representações teatrais, mas o espaço continuou como cinema, até 1981, ano em que encerrou definitivamente as suas portas. Foi adquirido em 2001 pela Câmara Municipal de Fafe.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Teatros portugueses de raíz italiana, Dissertação de Doutoramento em Aruqitectura apresentada à Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto

Local

Porto

Data

2002

Autor(es)

CARNEIRO, Luís Soares

Título

Dossier do Teatro-Cine de Fafe - código 03.07.0001 - Memória Descritiva do Teatro

Local

-

Data

-

Autor(es)

SOARES, José Summavielle