Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja do Mosteiro das Chagas - detalhe

Designação

Designação

Igreja do Mosteiro das Chagas

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Misericórdia de Lamego / Igreja do Mosteiro das Chagas / Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Lamego(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Lamego / Lamego (Almacave e Sé)

Endereço / Local

Jardim da República
Lamego

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-FQ/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13547/2012, DR, 2.ª série, n.º 197, de 11-10-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 7-11-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Nova proposta de 18-04-2011 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Devolvido em 21-03-2006 à DR do Porto para juntar proposta de ZEP
Proposta de 26-03-2002 da DR do Porto para a classificação como MIP
Despacho de abertura de 28-09-1996 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 23-09-1999 da DR do Porto
Proposta de 16-04-199 do CCR de Viseu

ZEP

Portaria n.º 740-FQ/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13547/2012, DR, 2.ª série, n.º 197, de 11-10-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 7-11-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 18-04-2011 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Desde o início do século XVI que a população de Lamego, nomeadamente as famílias nobres da cidade, exigiam a fundação de um convento no perímetro urbano para albergar as suas filhas. No entanto só em 1588 se instituiu na urbe, no antigo Campo do Tablado, a primeira casa religiosa feminina, obediente à Ordem de Santa Clara.
Fundado por ordem de D. António Teles de Menezes, bispo de Lamego, o Convento das Chagas iniciou-se com um grupo de sete clarissas, provenientes do Convento da Madre de Deus de Monchique da cidade do Porto, todas irmãs do bispo. O convento foi edificado junto à Capela de São Sebastião, escolhida para templo da comunidade conventual durante os anos em que decorreu a construção.
A construção da estrutura do convento, incluindo o templo das Chagas, estava concluída cerca de 1599, e a campanha decorativa foi sendo executada nas duas centúrias seguintes. Do espaço conventual resta actualmente a igreja, uma vez que as dependências foram cedidas em 1910 à edilidade local, que ao longo do século XX as aproveitou para o funcionamento de escolas.
A igreja de feição maneirista foi disposta longitudinalmente, composta pelos volumes da nave, capela-mor e sacristia. A fachada principal está disposta lateralmente, antecedida por escadaria, apresentando do lado esquerdo o portal, inserido num alfiz, com o brasão do bispo fundador e ladeado por duas colunas jónicas. O conjunto é encimado por entablamento e rematado com frontão triangular, onde foi esculpido o escudo com as cinco chagas de Cristo. Do lado direito foram dispostas três cruzes, em representação do Calvário.
Na estrutura exterior destaca-se ainda o espaço da sacristia, executado em 1705 e disposto à direita da capela-mor, no seguimento da fachada principal, embora o seu corpo esteja saliente em relação à nave.
O espaço interior, de nave única, é forrado por tapetes de azulejo de manufactura seiscentista. A disposição do coro-alto, construído aquando da edificação original do templo, e do coro-baixo, edificado em 1734 por Francisco Cardoso e Timóteo Calheiros, marcava a separação das duas comunidades conventuais, bem como o seu isolamento em relação à comunidade. A nave é coberta por falsa abóbada de berço, em madeira, pintada com efeito de trompe l'oeil .
O programa decorativo é formado por vários altares de talha barroca, destacando-se o de São João Evangelista, mandado executar em 1645 pela irmandade com a mesma designação, que apresenta vários quadros esculpidos em relevo com passagens da vida do santo. Muitas das capelas instituídas no convento ao longo dos século XVII e XVIII, bem como os respectivos recheios de escultura, foram doadas para o acervo do Museu de Lamego.
Actualmente, a Igreja das Chagas é utilizada pela Misericórdia de Lamego, depois de em 1911 um incêndio ter destruído o antigo templo desta irmandade, fundada em 1519.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2005

Imagens

Bibliografia

Título

História do Bispado e Cidade de Lamego, vol. 4, Renascimento (II)

Local

Lamego

Data

1984

Autor(es)

COSTA, Manuel Gonçalves da

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Cidade de Lamego - Igreja do Mosteiro das Chagas

Local

Lamego

Data

1988

Autor(es)

LARANJO, F. J. Cordeiro

Título

Artistas e Artífices nas Dioceses de Viseu e Lamego

Local

Viseu

Data

2001

Autor(es)

ALVES, Alexandre