Saltar para o conteúdo principal da página

Casa e Quinta da Igreja - detalhe

Designação

Designação

Casa e Quinta da Igreja

Outras Designações / Pesquisas

Casa e Quinta da Igreja (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Braga / Santa Lucrécia de Algeriz e Navarra

Endereço / Local

Rua Quinta da Igreja
Santa Lucrécia de Algeriz

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-X/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 7005/2012, DR, 2.ª série, n.º 65, de 30-03-2012 (ver Anúncio)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Parecer favorável de 23-11-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Nova proposta de 15-04-2011 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Devolvido à DRC do Norte em 21-01-2011 para juntar proposta de ZEP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Proposta de 23-12-2010 da DRC do Norte para a classificação como de IP
Despacho de abertura de 10-09-1997 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 5-09-1997 da DR do Porto
Proposta de classificação apresentada em Agosto de 1997

ZEP

Portaria n.º 740-X/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 7005/2012, DR, 2.ª série, n.º 65, de 30-03-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 23-11-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 15-04-2011 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Casa da Igreja, em Algeriz, foi mandada edificar no início do século XVIII, pertencendo à família Castro, senhores da Casa das Brolhas de Lamego. Não está no entanto clarificado se o solar foi mandado edificar por Pedro da Fonseca e Castro e Sousa Osório e Melo, ou se a casa terá chegado à família por via da sua mulher, D. Teresa Santarém.
O solar desenvolve-se em planta rectangular de dois pisos, erguendo-se ao centro uma torre mais alta que o corpo da casa. A capela foi construída do lado direito da fachada principal. O acesso ao interior do edifício habitacional é feito através de uma escadaria edificada junto à capela.
De acordo com a tipologia dos edifícios solarengos setecentistas, a Casa da Igreja é marcada pela disposição de janelas no piso superior, o que imprime o ritmo da fachada. A disposição da torre, que se destaca pelo verticalismo, faz com que esta pareça ser "um corpo independente" (SOUSA, 1997, p. 248).
A capela da casa apresenta uma fachada de gosto barroco, repleta de formas contracurvadas, onde foi colocada a pedra de armas dos Castros (Idem, ibidem). O interior é revestido por painéis de azulejos com cenas de corte, executados entre 1730 e 1750, época em que terão sido também edificados o retábulo de talha e o púlpito (Idem, ibidem, p. 250)
No espaço interior da casa, numa das salas nobres do piso superior, as paredes são revestidas com telas onde estão pintados "motivos semelhantes aos dos azulejos da capela" (Idem, ibidem, p. 249).
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/2006

Imagens

Bibliografia

Título

Subsídios para o inventário artístico da freguesia de Sta. Lucrécia de Algeriz (Braga), Mínia, nº 5, IIIª série, pp. 247-261

Local

Braga

Data

1997

Autor(es)

SOUSA, José João Rigaud de