Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte da Lagariça - detalhe

Designação

Designação

Ponte da Lagariça

Outras Designações / Pesquisas

Ponte da Lagariça (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Resende / São Cipriano

Endereço / Local

- -
Lugar da Lagariça

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-DO/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13412/2012, DR, 2.ª série, n.º 178, de 13-09-2012 (ver Anúncio)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Parecer favorável de 23-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Nova proposta de 14-05-2010 da DRC do Norte para a classificação como de IP
Proposta de 28-05-1999 da DR do Porto para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 6-10-1998 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 30-09-2008 da DR do Porto
Proposta de classificação de 20-01-1997 da CM de Resende

ZEP

Portaria n.º 740-DO/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13412/2012, DR, 2.ª série, n.º 178, de 13-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 23-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 14-05-2010 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sobre o rio Cabrum, e actualmente nos limites das freguesias de Freigil e São Cipriano, a ponte parece ter origem na Baixa Idade Média, apesar de a sua actual configuração ser claramente posterior. Em 1299, num documento assinado pelo rei D. Dinis, é mencionada uma ponte sobre o rio Cabrum e, pela actual freguesia de Freigil, passava um caminho medieval de relativa importância. Nada disto, contudo, prova a existência desta estrutura na transição para o século XIV.
Estruturalmente, subsiste uma característica interessante: o facto de o tabuleiro ser em duplo cavalete rampante, que constitui um indício de medievalidade. O arco de sustentação, todavia, é em arco de volta perfeita, com aduelas de talhe perfeito, mais próprias da época moderna avançada, assim como o aparelho de enchimento, muito regular e com recurso a silhares bem talhados.
A envolvente da ponte foi, recentemente, sujeita a um arranjo paisagístico da responsabilidade da autarquia, criando-se uma ampla zona ribeirinha de lazer e reforçando-se estruturalmente a ponte (limpeza, colmatação de falhas no aparelho e guardas, etc.), para além de beneficiações diversas e acesso da via pública ao leito do rio.
PAF

Imagens