Saltar para o conteúdo principal da página

Monte de Santa Comba - detalhe

Designação

Designação

Monte de Santa Comba

Outras Designações / Pesquisas

Monte de Santa Comba (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Monte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Vinhais / Nunes e Ousilhão

Endereço / Local

Monte de Santa Comba
-

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 07-06-1999

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada numa região de beleza paisagística incomparável, variando entre o extremo rigor do Inverno e os Verões soalheiros, o território correspondente, na actualidade, à freguesia de Ousilhão é delimitado por marcos (ou "fiéis"), pedras de xisto ou granito tradicionalmente utilizadas na divisão das propriedades rurais.
Ocupando um extenso planalto repleto de lameiros e serras, o termo exibe testemunhos materiais de uma vivência bastante antiga que remontará, pelo menos, à Idade do Ferro, a julgar pelos artefactos recolhidos e estações arqueológicas identificadas até ao momento, a exemplo do "Monte de Santa Comba", erguido no topo de uma elevação sobranceira à aldeia de Ousilhão, num local dotado de boas condições naturais de defesa e de onde se desfruta de um excelente domínio visual sobre toda a paisagem envolvente, controlando-a até parte significativa do Rio Tuela.
Referido pelo célebre historiador e arqueólogo bragantino Padre Francisco Manuel Alves (1865-1947), mais conhecido por 'Abade de Baçal', o sítio era originalmente delimitado por duas linhas de muralha, acompanhando a topografia do local, configurando, assim, duas plataformas, apresentando-se o muralhado superior reforçado por um fosso e um campo de pedras fincadas. Apesar da dificuldade de leitura do arqueossítio, devido à descaracterização provocada por intervenções mais recentes, não se encontraram, além de fragmentos de cerâmica manual enquadradas na Idade do Ferro da região, materiais de construção e de uso quotidiano tão característicos da presença romana em povoados que lhe são similares. Não obstante, a associação remanescente do sítio à existência de uma antiga capela consagrada a Santa Comba indiciará uma reocupação medieval, numa comprovação da sua apropriação através do Cristianismo, como se observa noutros locais do país.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Roteiro Arqueológico da Região de Vinhais, Vinhais - Terras e Gentes, pp.57-104

Local

Vinhais

Data

1993

Autor(es)

MACIEL, Tarcísio Daniel Pinheiro

Título

Notas históricas da vila e concelho de Vinhais, Ronda Bragançana, pp.11-24

Local

Bragança

Data

1939

Autor(es)

COSTA, David

Título

Povoados fortificados com pedras fincadas em Trás-os-Montes,

Local

Coimbra

Data

2001

Autor(es)

REDENTOR, Armando José

Título

Povoamento Romano de Trás-os-Montes Oriental, 6 vols., Dissertação de Doutoramento apresentada à Universidade do Minho

Local

Braga

Data

1993

Autor(es)

LEMOS, Francisco Sande

Título

Vinhais : terra e gentes

Local

Vinhais

Data

1993

Autor(es)

SILVA, Eugénio (Coord.)

Título

Memórias arqueológico-históricas do distrito de Bragança: arqueologia, etnografia e arte

Local

Porto

Data

1934

Autor(es)

ALVES, Francisco Manuel