Saltar para o conteúdo principal da página

Casa Grande da Meadela - detalhe

Designação

Designação

Casa Grande da Meadela

Outras Designações / Pesquisas

Casa Grande da Meadela(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Viana do Castelo / Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela

Endereço / Local

Lugar da Igreja
Meadela

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de 31-05-1994

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Outrora freguesia rural, muito procurada pela nobreza vienense, Meadela foi integrada no perímetro urbano de Viana do Castelo em 1988. A denominada Casa Grande, situada junto à igreja paroquial de Santa Cristina, orago da freguesia e a cujo culto se encontra intimamente ligada a história do nome de Meadela, é uma edificação já do século XIX. Não são conhecidos os seus primitivos proprietários, responsáveis pela sua construção, e os dados disponíveis sobre o imóvel são muito reduzidos.
A Casa desenvolve-se em planta rectangular, destacando-se pelas suas dimensões e também pela depuração arquitectónica. Não podemos deixar de ver aqui alguma influência do denominado pombalismo, principalmente ao nível da mansarda que se ergue sobre a fachada principal. Esta, é aberta por uma série de vãos que, todavia, não são simétricos. Assim, no primeiro registo encontramos, ao centro, o portal principal, a que se acede por seis degraus semicirculares, e que se liga à janela de sacada que se lhe sobrepõe. Ladeia esta porta uma janela rectangular e outras duas de guilhotina, do lado direito. Do lado oposto, a ordem é inversa. Todavia, a assimetria é menos evidente no andar nobre, uma vez que as janelas de sacada que ladeiam a central, formam uma composição única com as duas últimas janelas do piso inferior. Somente do lado esquerdo, a última janela não tem correspondência com nenhum vão inferior.
A mansarda, com duas janelas de sacada sobre a fachada principal, encontra-se deslocada para o lado direito. O alçado lateral que dá para a rua é mais equilibrado, apresentando no primeiro registo vãos rectangulares, e no segundo uma alternância entre janelas de peito e janelas de sacada, estas últimas formando uma composição única com os vãos inferiores.
No interior, ganha especial relevância a escadaria de acesso ao andar nobre, iluminada por uma clarabóia.
(Rosário Carvalho)

Imagens