Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Santa Eulália, paroquial da Freguesia de Rio Covo (Santa Eulália) - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Santa Eulália, paroquial da Freguesia de Rio Covo (Santa Eulália)

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de Rio Covo / Igreja de Santa Eulália (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Barcelos / Rio Covo (Santa Eulália)

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Despacho de revogação de 19-08-2010 do Director do IGESPAR, I.P.
Proposta de arquivamento de 23-06-2010 da DRCNorte
Despacho de abertura de 1-02-1999 do Vice-Presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 27-01-1999 da DRPorto
Proposta de classificação de 16-11-1998 de um movimento de cidadãos

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A referência mais antiga à freguesia de Santa Eulália de Rio Côvo data de 906, sendo então mencionada como Santa Eulália de Águas Santas, ou Santa Olaia. Em 1220 aparecia referenciada nas Inquirições de D. Afonso II, sendo então comenda da Ordem dos Templários.
A primitiva matriz da freguesia era a igreja de Águas Santas, templo de antiga fundação, cujas estruturas eram ainda referidas nas Memórias Paroquiais de 1718.
A sede paroquial foi transferida, em meados do século XVII, para uma pequena capela em Santa Eulália, cuja tradição atribuía a sua construção aos senhores da Quinta de Paços de Cima.
No século XVIII foram realizadas obras de ampliação do templo, e a capela primitiva foi transformada no espaço da capela-mor.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/2007

Imagens