Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Ribeiro - detalhe

Designação

Designação

Casa do Ribeiro

Outras Designações / Pesquisas

Casa do Ribeiro II (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Marco de Canaveses / Santo Isidoro e Livração

Endereço / Local

- -
Lugar da Livração

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-T/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 16893/2011, DR, 2.ª série, n.º 220, de 16-11-2011 (ver Anúncio)
Parecer de 9-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a classificação como MIP
Proposta de 17-12-2009 da DRC do Norte para a classificação como IIP
Despacho de homologação de 14-10-1999 da Secretária de Estado da Cultura
Parecer de 25-11-1993 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Despacho de abertura de 8-06-1993 do presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 25-05-1993 da DR do Porto
Proposta de classificação de 6-05-1993 do proprietário

ZEP

Portaria n.º 740-T/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 16893/2011, DR, 2.ª série, n.º 220, de 16-11-2011 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 9-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 17-12-2009 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Casa do Ribeiro cresceu em torno de uma torre ameada, edificada possivelmente no século XIV pela família Sousa. O solar terá sido construído na primeira metade do século XVII por ordem de João de Sousa Monteiro, Capitão-Mor de Ordenanças do concelho de Santa Cruz de Riba Tâmega.
A casa é precedida por pátio com cerca e portal almofadado, rematado com pináculos e um frontão que alberga os brasões dos Rangel e dos Pamplona. De planta rectangular, o solar foi construído a partir da torre medieval, que ficou adossada à fachada posterior. A fachada principal divide-se em dois pisos: o térreo é rasgado por portais de moldura recta, o superior por janelas de sacada com moldura e entablamento, precedidas por guarda de ferro, dispostas a espaços regulares. O conjunto apresenta uma linguagem de gosto classicista, ritmada e simétrica.
A fachada posterior ostenta um conjunto eclético, com o torreão medieval a erguer-se à direita, coroado por merlões e rasgado por uma janela e uma pequena porta de acesso ao interior. Junto a esta abre-se um arco abatido, que serve de entrada de serviço da casa, encimado por três janelas. Ao centro foi rasgada uma janela de mainel coroada por lóbulo, que se situa sobre um arco. À esquerda, uma escadaria dá acesso à capela da casa, cuja porta é encimada por torre sineira. Na extremidade da fachada, foi rasgada uma janela de moldura rectangular. O espaço interior é coberto por tectos de masseira, destacando-se no salão nobre o tecto pintado com o brasão da família.
Catarina Oliveira
DIDA/ IGESPAR, I.P./ 2010

Imagens

Bibliografia

Título

A Vila de Marco de Canaveses. Notas para a sua história

Local

Lisboa

Data

1935

Autor(es)

VASCONCELOS, Manuel Rosado Camões de

Título

Nobres Casas de Portugal

Local

Porto

Data

1958

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

Monografia do Marco de Canaveses

Local

Marco de Canaveses

Data

1996

Autor(es)

MONTEIRO, Emília