Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Sá, portão armoriado, capela de Santa Ana, dependências anexas, terreiro e jardim - detalhe

Designação

Designação

Casa de Sá, portão armoriado, capela de Santa Ana, dependências anexas, terreiro e jardim

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Vizela / Santa Eulália Barrosas

Endereço / Local

Estrada Vizela-Felgueiras
Barrosas ( Santa Eulália )

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 2-10-1995

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A data de fundação da Casa de Sá permanece desconhecida, embora se situe possivelmente entre os últimos anos do século XVI e meados do século XVII. O seu núcleo original corresponde ao que actualmente é o corpo central do frontispício. O edifício foi ampliado no século XVIII, adquirindo então a sua forma actual, e os jardins da casa foram plantados no século XIX.
Desde a sua fundação a Casa de Sá foi o centro de produção agrícola, e a partir de 1802 obteve alvará régio para construir na quinta uma fábrica de papel, que na época das Invasões Francesas foi destruída pelas tropas napoleónicas.
A casa, de planta rectangular, destaca-se pela disposição horizontal, com dois corpos laterais mais salientes e o frontão a coroar o corpo central, marcando a entrada dentro do palacete. As fachadas dividem-se em três registos, sendo o último uma mansarda. Junto à casa foi edificada uma capela dedicada a Santa Ana.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/2006