Saltar para o conteúdo principal da página

Castro do Cabeço do Couço - detalhe

Designação

Designação

Castro do Cabeço do Couço

Outras Designações / Pesquisas

Castro do Cabeço do Couço(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Castro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Vouzela / Campia

Endereço / Local

Quinta do Castro, na EM 332-2, entre Crasto e Campia; a 2 km à esquerda para Rebordinho, 250 m; à esquerda em caminho de terra, 100 m
Crasto

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)

Cronologia

Anúncio n.º 196/2015, DR, 2.ª série, n.º 160, de 18-08-2015 (ver Anúncio)
Despacho de 20-07-2015 do Secretário de Estado da Cultura a determinar a abertura de novo procedimento de classificação
Despacho de concordância de 29-06-2015 do diretor-geral da DGPC
Proposta de 24-06-2015 da DRC do Centro para a abertura de novo procedimento de classificação
Novo despacho de 25-11-2014 do diretor-geral da DGPC a confirmar a caducidade do procedimento
Despacho de 10-07-2014 do diretor-geral da DGPC, sob proposta do Gabinete Jurídico, a confirmar a caducidade do procedimento
Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de 13-10-1995

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situado entre as localidades de Crasto e Campia, o "Castro do Cabeço do Couço" ergue-se no topo de um colina bastante íngreme, sobranceira ao rio Alcofra, numa zona particularmente fértil em recursos essenciais à manutenção da vida humana por um longo período de tempo, como parece ser o caso, a julgar pelos materiais recolhidos no sítio, ao permitirem balizar cronologicamente a sua construção e utilização entre a Idade do Bronze e a Idade do Ferro estabelecidas para esta região do actual território português.
Uma constatação que, se demonstrará bem a forma como a riqueza cinegética da região atraiu e ajudou a fixar no seu seio diferentes comunidades humanas ao longo dos séculos e dos milénios, revelará também toda uma carga simbólica que lhe era atribuída, extraída e aposta nos mais diversos suportes matéricos, neste caso, rochosos, imagem maior do carácter sedentário das suas populações, que assim a legavam às gerações vindouras.
Com efeito, as investigações conduzidas nesta estação arqueológica ao longo da segunda metade dos anos noventa do século passado permitiram identificar, numa plataforma localizada a Norte, alicerces de uma estrutura habitacional de planta circular, à semelhança, no fundo, do que se observa em parte expressiva dos restantes exemplares destes povoados de altura inseridos no conceito de cultura castreja. A par deste testemunho, foi ainda exumada parte do muralhado que circunscreveria, na origem, o povoado (Cf. PEDRO, Ivone dos Santos da Silva, 2000).
Tal como sucede em arqueossítios similares, foi recolhido espólio diversificado, essencialmente composto de fragmentos cerâmicos, especialmente de uso doméstico, de mós manuais, cossoiros, contas de colar e objectos metálicos executados em bronze e ferro, numa altura em que, a par do surgimento e propagação da metalurgia, de uma arte decorativa fundamentalmente geométrica e da ampliação do rito funerário de incineração, o actual território português assistia, de um modo geral, à "[...] construção e progressiva consolidação de uma estrutura social hierárquica dominada pelos chefes da classe militar predominantemente estabelecidos em povoados de carácter defensivo." (SILVA, A. C. F. da, 1990, p. 259).
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Guia de Portugal, Beira II - Beira Baixa e Beira Alta

Local

Lisboa

Data

1984

Autor(es)

DIONÍSIO, Sant'Ana

Título

Complexificação das sociedades e sua inserção numa vasta rede de intercâmbios, Nova História de Portugal

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira

Título

A Idade do Ferro em Portugal, Nova História de Portugal

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

SILVA, Armando Coelho Ferreira da

Título

Desenvolvimento da hierarquização social e da metalurgia, Nova História de Portugal

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

JORGE, Susana de Oliveira

Título

Antiguidades Pré-históricas de Lafões. Contribuição para o estudo da Arqueologia de Portugal

Local

Coimbra

Data

1921

Autor(es)

GIRÃO, Aristides de Amorim

Título

Carta arqueológica do Concelho de Vouzela

Local

Vouzela

Data

1999

Autor(es)

MARQUES, Jorge Adolfo de Meneses

Título

O Cabeço do Couço, Campia, Vouzela, Actas do 3º Congresso de Arqueologia Peninsular

Local

Porto

Data

2000

Autor(es)

PEDRO, Ivone dos Santos da Silva