Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte do Poço de São Tiago - detalhe

Designação

Designação

Ponte do Poço de São Tiago

Outras Designações / Pesquisas

Ponte do Poço de São Tiago / Ponte Ferroviária do Poço de São Tiago (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Sever do Vouga / Pessegueiro do Vouga

Endereço / Local

- -
-

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (Homologado como IM -...

Cronologia

Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à Câmara Municipal de Sever do Vouga em 24-06-2010 a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Despacho de homologação de 28-02-1997 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 24-01-1995 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de de 13-06-1994 da DR de Coimbra para a classificação como VC
Proposta de classificação de 30-06-1993 da CM de Sever do Vouga
Processo iniciado em 1992

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

ImóvelEdificada sobre o rio Vouga, ao km 70,80 da antiga Linha Férrea do Vale do Vouga, a Ponte do Poço de São Tiago, ou do Poço de Santiago é uma estrutura de alvenaria de pedra com cerca de 165m de comprimento. O tabuleiro assenta sobre um grande arco central, com um vão de 55m que abrange toda a largura do rio, e 11 arcos de volta perfeita, de menores dimensões, que o ladeiam.
História
A Ponte do Poço de São Tiago foi construída entre 1912 e 1913, sendo considerada uma das mais altas pontes em alvenaria de pedra do país. A obra seria adjudicada à Compagnie Française pour la Construction et Exploitation des Chemins de Fer à l'Étranger. O projeto da ponte foi executado pelo engenheiro francês Sejourné, sendo a construção dirigida por François Mercier (Ribeiro: 1944, p. 746).
Originalmente, a ponte integrava a Linha Férrea do Vale do Vouga, permitindo a travessia dos comboios sobre o rio, junto à plataforma (ou estação) de Poço de Santiago, ou São Tiago, no troço que ligava Foz do Rio Mau a Ribeiradio. Com a desativação da linha férrea em 1990, a ponte deixou de servir a passagem de ferrovias.
Já no início do século XXI, a ponte foi integrada num trilho de ciclovia/caminhada, tendo-lhes sido retirados os carris para facilitar a passagem de bicicletas e peões no tabuleiro.
Catarina Oliveira
DGPC, 2018

Imagens

Bibliografia

Título

Caminhos de ferro do Vale do Vouga, Guia de Portugal, vol. III - Beira, tomo II - Beira Baixa e Beira Alta

Local

Lisboa

Data

1944

Autor(es)

RIBEIRO, Orlando

Título

As linhas do Vale do Vouga. O seu Congresso Ferroviário. Gazeta dos Caminhos de Ferro, n.º 46 (Dez. 1933)

Local

Lisboa

Data

1933

Autor(es)

SOUSA, J. Fernando