Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte do Poço de São Tiago - detalhe

Designação

Designação

Ponte do Poço de São Tiago

Outras Designações / Pesquisas

Ponte do Poço de São Tiago / Ponte Ferroviária do Poço de São Tiago (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Sever do Vouga / Pessegueiro do Vouga

Endereço / Local

- -
-

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (Homologado como IM -...

Cronologia

Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à Câmara Municipal de Sever do Vouga em 24-06-2010 a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Despacho de homologação de 28-02-1997 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 24-01-1995 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de de 13-06-1994 da DR de Coimbra para a classificação como VC
Proposta de classificação de 30-06-1993 da CM de Sever do Vouga
Processo iniciado em 1992

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

ImóvelEdificada sobre o rio Vouga, ao km 70,80 da antiga Linha Férrea do Vale do Vouga, a Ponte do Poço de São Tiago, ou do Poço de Santiago é uma estrutura de alvenaria de pedra com cerca de 165m de comprimento. O tabuleiro assenta sobre um grande arco central, com um vão de 55m que abrange toda a largura do rio, e 11 arcos de volta perfeita, de menores dimensões, que o ladeiam.
História
A Ponte do Poço de São Tiago foi construída entre 1912 e 1913, sendo considerada uma das mais altas pontes em alvenaria de pedra do país. A obra seria adjudicada à Compagnie Française pour la Construction et Exploitation des Chemins de Fer à l'Étranger. O projeto da ponte foi executado pelo engenheiro francês Sejourné, sendo a construção dirigida por François Mercier (Ribeiro: 1944, p. 746).
Originalmente, a ponte integrava a Linha Férrea do Vale do Vouga, permitindo a travessia dos comboios sobre o rio, junto à plataforma (ou estação) de Poço de Santiago, ou São Tiago, no troço que ligava Foz do Rio Mau a Ribeiradio. Com a desativação da linha férrea em 1990, a ponte deixou de servir a passagem de ferrovias.
Já no início do século XXI, a ponte foi integrada num trilho de ciclovia/caminhada, tendo-lhes sido retirados os carris para facilitar a passagem de bicicletas e peões no tabuleiro.
Catarina Oliveira
DGPC, 2018

Imagens

Bibliografia

Título

As linhas do Vale do Vouga. O seu Congresso Ferroviário. Gazeta dos Caminhos de Ferro, n.º 46 (Dez. 1933)

Local

Lisboa

Data

1933

Autor(es)

SOUSA, J. Fernando

Título

Caminhos de ferro do Vale do Vouga, Guia de Portugal, vol. III - Beira, tomo II - Beira Baixa e Beira Alta

Local

Lisboa

Data

1944

Autor(es)

RIBEIRO, Orlando