Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora da Nazaré - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora da Nazaré

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Nossa Senhora da Nazaré (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / São Pedro do Sul / Carvalhais e Candal

Endereço / Local

-- -
Lugar de Drizes

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Despacho de encerramento de 1-10-2002

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Implantada num promontório sobranceiro ao Rio Vouga, a igreja de Nossa Senhora da Nazaré reveste-se de particular importância no quadro da religiosidade local, aí se realizando peregrinações, romarias e outras festividades religiosas.
De planta longitudinal, com volumes diferenciados, a igreja é antecedida por um alpendre suportado por colunas graníticas. A fachada, aberta por portal de verga recta, termina em empena definida por cornija, sendo os cunhais marcados por pilastras encimadas por pináculos. No alçado lateral esquerdo, os volumes correspondentes à nave e à capela-mor encontram-se bem definidos, com esta última mais estreita. O alçado da nave é aberta por uma janela e por porta de verga recta com cornija saliente. Do lado oposto encontra-se adossado um volume mais baixo, correspondente à sacristia.
A depuração que se observa no exterior da igreja contrasta vivamente com a riqueza decorativa do interior, onde se conjuga a talha dourada dos retábulos com a pintura dos restantes elementos. O retábulo-mor e os colaterais inscrevem-se num barroco regional tardio, destacando-se pela profusão de motivos decorativos que exibem. No caso dos retábulos colaterais, observam-se já alguns temas de características neoclássicas.
Neoclássicas são também as grinaldas e as flores pintadas no arco triunfal. Nos caixotões do tecto, são representados santos e santas e, na capela-mor símbolos marianos inscritos em cartelas..
O bom estado de conservação do templo atesta intervenções recentes que introduziram alterações, como o revestimento de caixotões do alpendre, substituído por ripas de madeira corridas (POLICARPO, Isabel, Processo de Classificação, IPPAR/DRC, 1998).
(Rosário Carvalho)