Saltar para o conteúdo principal da página

Edifício sito na Avenida da Boavista n.º 1354 - detalhe

Designação

Designação

Edifício sito na Avenida da Boavista n.º 1354

Outras Designações / Pesquisas

Antigo Colégio dos Maristas / Edifício na Avenida da Boavista, n.º 1354(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Lordelo do Ouro e Massarelos

Endereço / Local

Avenida da Boavista
Porto

Número de Polícia: 1354

Rua Pedro Hispano
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Declaração de retificação n.º 736/2013, DR, 2.ª série, n.º 122, de 27-06-2013 (retificou a planta anexa ao diploma anterior) (ver Declaração)
Portaria n.º 319/2013, DR, 2.ª série, n.º 106, de 3-06-2013 (ver Portaria)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13694/2012, DR, 2.ª série, n.º 220, de 14-11-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 22-10-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 30-03-2012 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de 14-09-2000 do vice-presidente do IPPAR a determinar a alteração da delimitação relativa ao despacho de abertura
Proposta de 21-08-2000 da DR do Porto para a alteração da área a classificar
Despacho de abertura de 9-05-1996 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 30-01-1996 da DR do Porto
Despacho de concordância de 13-03-1982 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 5-03-1982 da Assessoria Técnica do IPPC a solicitar a completa instrução do processo
Proposta de classificação de 22-01-1982

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O edifício n.º 1354 da Avenida da Boavista encontra-se num plano recuado em relação à via pública, separado desta por um muro gradeado. É um imóvel de linguagem neoclássica, cuja construção se enquadra na arquitectura civil do século XIX, que caracterizou as novas artérias da cidade, como era, à época, a Avenida da Boavista.
De volume compacto mas imponente, o edifício destaca-se pela simetria dos vãos e pela secção central, com uma arcada tripla que suporta um terraço superior e constitui uma galilé de entrada no piso térreo. Uma escadaria, com balaustradas laterais em granito, permite o acesso ao portal, mais elevado em relação ao nível da rua.
Ainda na secção central do imóvel, os elementos são diferenciados em relação aos restantes. As janelas do andar nobre apresentam frontões alternadamente triangulares e semi-circulares. Já no remate do imóvel, sobressai uma moldura semi-circular, onde se inscreve um medalhão com as inicias BRS. Mais atrás observa-se a mansarda, cujas janelas se encontram parcialmente ocultas pela cornija (com balaustrada alternada com zonas fechadas) que percorre todo o edifício. Ao centro, eleva-se uma clarabóia, em ferro e vidro. No interior, ganha especial importância a escadaria, que se bifurca a partir do primeiro lanço, e em função da qual se estrutura o restante espaço, todo ele com elementos decorativos neoclássicos. Ilumina a escadaria a clarabóia, cujo interior apresenta motivos de linguagem semelhante.
Para além do edifício, ganha especial importância o jardim, com inúmeros exemplares de árvores e plantas de grande interesse (cujo inventário das espécies arbóreas foi executado em 1982 pela Direcção dos Serviços e Obras da CMP), encontrando-se ainda abrangidos pela presente classificação a estufa, a casa do guarda, o coreto, o lago, e os moinhos de vento.
São muito escassas as informações referentes a este imóvel, conhecendo-se apenas a existência, no Arquivo Histórico da Câmara Municipal do Porto, de um requerimento datado de 9 de Abril de 1895, que João Gomes da Silva Guerra fez acompanhar de um desenho do "muro de vedação de um terreno sito na Avenida da Boavista", e que se pensa equivaler a este imóvel. Ficamos a saber, ainda, que o terreno pertencia ao Conselheiro Boaventura Rodrigues e Sousa, cujas iniciais correspondem às do monograma sobre o portal de entrada da casa e no portão (Isabel SERENO; Elvira REBELO, Processo de Classificação, IPPAR/DRP, 1996).
Entre esta data e 1899, a Casa deveria estar a ser edificada, pois assim o indicam as suas características, e esta última data está presente nas pinturas executadas e assinadas por A. Mello, no salão de música. Por outro lado, o ano de 1900 encontra-se inscrito sobre o portão, ajudando a balizar a sua edificação. Desconhecemos, também, o autor do projecto, embora outras obras do mesmo proprietário tenham sido, na época, confiadas ao arquitecto Joel da Silva Pereira, facto que não apenas nos indicia a importância de Boaventura Rodrigues e Sousa, como pode, ainda, indicar uma eventual atribuição do imóvel a esse arquitecto (IDEM).
Desde 1910 até 1926 o edifício esteve desocupado, acolhendo, então, o colégio de Nossa Senhora do Rosário (1926-1958) e, posteriormente, o Colégio dos Maristas, que aí se manteve desde 1959 até 1991.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Processo de Classificação do Edifício onde esteve instalado o Colégio dos Maristas, IPPAR/DRP

Local

Porto

Data

1996

Autor(es)

SERENO, Isabel, REBELO, Elvira