Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora da Assunção, matriz do Paul - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora da Assunção, matriz do Paul

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Matriz de Paul / Igreja Paroquial de Paúl / Igreja de Nossa Senhora da Assunção (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Covilhã / Paul

Endereço / Local

Rua da Igreja
Paul

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 550/2014, DR, 2.ª série, n.º 127, de 4-07-2014 (ver Portaria)
Despacho de homologação de 23-10-2002 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 26-09-2002 do Conselho Consultivo do IPPAR
Nova proposta de 21-05-1997 da DR de Coimbra
Proposta de 3-04-1993 da DR de Coimbra para a classificação como IIP

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Dedicada a Nossa Senhora da Assunção, a igreja matriz de Paul foi edificada, muito possivelmente, no final do século XVII ou no início da centúria seguinte. Na verdade, são poucas as informações relativas a este templo. As Memórias Paroquiais, muito sucintas, apenas descrevem parcialmente a igreja e os seus altares, em número de quatro (FERNANDES, 2000, p. 118). Nas proximidades encontra-se um cruzeiro datado de1719, certamente posterior à edificação do templo.
A fachada principal, com pilastras rematadas por fogaréus nos cunhais, termina em empena com cruz ao centro. O portal, de linhas rectas, é encimado por entablamento e frontão semicircular interrompido pela janela que, por sua vez, termina num frontão semicircular. Do lado direito e num plano ligeiramente recuado ergue-se a torre sineira, separada da igreja por um pano murário cego. Com duas janelas no primeiro registo, a torre exibe depois as sineiras, terminando em coruchéu. Nos restantes alçados são visíveis os volumes correspondentes aos diferentes espaços, abertos por vãos rectos e sem elementos decorativos.
No interior, de nave única e capela-mor rectangular separada por arco de volta perfeita, ganha especial destaque o tecto pintado do corpo do templo e o tecto de caixotões da capela-mor, cujo efeito plástico é complementado pelo silhar de azulejos que percorre o espaço e pelos retábulos de talha dourada dos altares colaterais e das capelas laterais. Há ainda a registar o coro e o púlpito, do lado do Evangelho.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Concelho da Covilhã e Memórias Paroquiais de 1758

Local

Covilhã

Data

2000

Autor(es)

FERNANDES, Adelino Pais