Saltar para o conteúdo principal da página

Cruzeiro de Póvoa da Lomba - detalhe

Designação

Designação

Cruzeiro de Póvoa da Lomba

Outras Designações / Pesquisas

Cruzeiro de Póvoa da Lomba (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Cruzeiro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Cantanhede / Cantanhede e Pocariça

Endereço / Local

Rua da Fonte
Póvoa da Lomba

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (Homologado como IM -...

Cronologia

Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à CM de Cantanhede em 24-06-2010 a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Despacho de homologação de 9-10-1996 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 24-01-1995 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de classificação como VC de 30-09-1994 da DR de Coimbra
Processo iniciado em 1991 na DR de Coimbra

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Implantado num cruzamento no centro da povoação de Póvoa da Lomba, este cruzeiro terá sido edificado entre os séculos XVI e XVII.
A estrutura é composta por um alpendre assente sobre plataforma de três degraus quadrados, sustentado por quatro colunas toscanas de fuste liso, e coberto por cúpula lisa firmada sobre arquitrave com cornija saliente e ângulos marcados por pináculos piramidais. No cimo desse remate ergue-se um pináculo.
Sob esta construção alberga-se o cruzeiro propriamente dito, um pilar de secção quadrada levantado sobre um embasamento e rematado por capitel quadrangular, no qual se apoia uma cruz latina. Nesta foi colocada uma figura de Cristo em pedra, de grandes dimensões e com vestígios de policromia.
História
Erigido num local central da povoação, simbólico por se situar num cruzamento dos principais caminhos que a atravessavam, o cruzeiro da Póvoa da Lomba deverá ter sido esculpido entre a segunda metade do século XVI e as primeiras décadas do século XVII. Originalmente a estrutura consistia apenas na cruz central, sem alpendre nem imagem.
Nas centúrias seguintes, o cruzeiro sofreu diversas intervenções. Para além da cobertura e do Cristo pétreo que hoje se identificam, os vãos do alpendre terão sido fechados, de forma a simular uma capelinha, construindo-se ainda um altar em volta do pedestal da cruz e um nicho envidraçado destinado a abrigar o crucifixo. Todos estes elementos foram removidos em 1982, quando o cruzeiro e a estrutura do alpendre foram restaurados.
Em 2004 o cruzeiro foi derrubado por um automóvel, seguindo-se a sua remontagem e nova intervenção de restauro, executadas pela empresa Pedramalba.
Catarina Oliveira
DGPC, 2017

Imagens