Saltar para o conteúdo principal da página

Residência Pompeu Figueiredo - detalhe

Designação

Designação

Residência Pompeu Figueiredo

Outras Designações / Pesquisas

Casa na Rua do Carmo, n.º 35 / Edifício de Pompeu Figueiredo (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Aveiro / Glória e Vera Cruz

Endereço / Local

Rua do Carmo
Aveiro

Número de Polícia: 35

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação para MIM - Monumento...

Cronologia

Edital n.º 36/2013, de 13-05-2013 da CM Aveiro, a determinar a abertura do procedimento
Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à CM de Aveiro em 3-05-2010 a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Despacho de homologação de 18-03-1998 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 26-02-1998 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 17-07-1997 da DR de Coimbra do IPPAR para a classificação como VC
Despacho de abertura de 5-06-1996 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de classificação de 20-05-1996, de particulares

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Residência Pompeu Figueiredo, situada no número 35 da Rua do Carmo, localiza-se no centro da cidade de Aveiro, frente à igreja do antigo Convento do Carmo.
Este edifício habitacional terá sido edificado no início do século XX, atribuindo-se o seu projeto a Francisco Augusto Silva Rocha, célebre arquiteto aveirense que desenhou na cidade vários edifícios Arte Nova, como é o caso da sua própria residência, situada nos n.º 12 a 14 desta mesma rua.
De planta em L, com pátio e jardim localizados junto ao alçado posterior, a casa apresenta uma fachada revestida por azulejos em tons de azul petróleo, que permitem destacar as molduras dos diversos vãos, em cantarias trabalhadas. No piso térreo encontra-se a porta de entrada, com bandeira protegida por grade de ferro e pedra de fecho saliente. Ao centro, rasga-se uma janela em arco abatido, enquadrada por silhares de pedra, e azulejos de motivos geométricos na zona inferior. Do lado oposto, surge uma janela de moldura semelhante à da porta.
O piso superior apresenta quatro vãos, coincidentes com os do rés-do-chão, ou seja, duas janelas laterais e outras duas geminadas ao centro, formando uma varanda, todas elas com molduras iguais. A varanda, em pedra, assenta em mísulas trabalhadas e exibe azulejos idênticos aos da janela inferior.
O edifício mantém as suas características habitacionais, embora o seu interior tenha sido renovado nos primeiros anos do século XXI.
História
A Casa na Rua do Carmo, 35, foi edificada nos primeiros anos do século XX, num período em que Aveiro assistiu a um crescimento económico, derivado do desenvolvimento da indústria local, que se traduziu na construção de novas habitações no perímetro urbano, destinadas às famílias burguesas aveirenses.
Embora não se confirme a autoria do imóvel, esta casa é atribuída a Francisco Silva Rocha, o mais reputado arquiteto da cidade na época, que vivia na mesma rua, e muito possivelmente desenhou esta casa vizinha para Pompeu Figueiredo.
Tal como na grande maioria dos edifícios Arte Nova, também aqui a azulejaria desempenha um papel fundamental, não apenas ao nível do revestimento da fachada, mas também nos breves apontamentos que marcam as janelas centrais ou os intervalos das mísulas que suportam a cornija, onde os motivos decorativos são conchas e volutas.
Restaurado no início do século XXI, o imóvel mantém as suas funções habitacionais, albergando também um espaço de hospedagem.
Catarina Oliveira
DGPC, 2016

Imagens

Bibliografia

Título

A Arquitectura Modernista em Portugal (1890-1940)

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

FERNANDES, José Manuel

Título

Aveiro: cidade Arte Nova

Local

Aveiro

Data

1999

Autor(es)

BORGES, Jaime

Título

Aveiro - do Vouga ao Buçaco

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

NEVES, Amaro, SEMEDO, Enio, ARROTEIA, Jorge Carvalho