Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Nossa Senhora das Necessidades - detalhe

Designação

Designação

Capela de Nossa Senhora das Necessidades

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Nossa Senhora das Necessidades (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Leiria / Regueira de Pontes

Endereço / Local

- -
Chãs

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Anúncio n.º 5853/2011, DR. 2.ª Série, n.º 85, de 3-05-2011 (ver Anúncio)
Despacho de arquivamento de 18-03-2011 do diretor do IGESPAR, I.P.
Parecer de 23-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor o arquivamento do procedimento, por não ter valor nacional
Reclamação de 29-10-2010 da Comissão da Fábrica da Igreja Paroquial de Regueira de Pontes
Anúncio n.º 9971/2010, DR, 2.ª série, n.º 204, de 20 de Outubro (ver Anúncio)
Despacho de abertura de 12-07-2010 do director do IGESPAR, I.P.
Em 24-06-2010 a DRC do Centro enviou o processo para decisão
Proposta de classificação de 18-06-2010 de particulares

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Embora se desconheça a data exacta da sua fundação, pensa-se que a Capela de Nossa Senhora das Necessidades terá sido erguida em Quinhentos, tendo sido totalmente reconstruída em meados do século XVIII. Já no século XX, entre 1929 e 1936, foi erigida a torre sineira adossado do lado esquerdo da estrutura.
No interior merecem destaque os retábulos de talha dourada e policromada, o coro-alto, o púlpito e o retábulo de pedra lavrado em finais do século XVI, que actualmente ocupa o espaço da sacristia.
Embora a Capela de Nossa Senhora das Necessidades constitua um interessante, e monumental, exemplar de arquitectura religiosa rural da época barroca, a Câmara Municipal de Leiria aprovou em Abril de 2010 a demolição do templo, ej consonância com os desejos da população, da paróquia e da junta de freguesia locias, que nas traseiras deste antigo templo construíram um novo.
Catarina Oliveira
DIDA/ IGESPAR, I.P./ Abril de 2011