Saltar para o conteúdo principal da página

Adega da Herdade de Algeruz - detalhe

Designação

Designação

Adega da Herdade de Algeruz

Outras Designações / Pesquisas

Adega de Algeruz
Núcleo Museológico do Vinho e da Vinha / Adega da Herdade de Algeruz / Núcleo Museológico do Vinho e da Vinha(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Palmela / Palmela

Endereço / Local

Herdade de Algeruz
Palmela

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Ofício de 28-03-2013 da CM de Palmela a informar que o imóvel está classificado
Em 22-12-2009 doi dado conhecimento do despacho à CM de Palmela
Despacho de encerramento de 18-09-2009 do director do IGESPAR, I.P.
Proposta de encerramento de 15-09-2009 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo, por não ter valor nacional
Edital n.º 88/DAF-DAG/2008 de 19-12-2008 da CM de Palmela
Deliberação de 24-05-2005 da AM de Palmela a determinar a classificação como de IM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A antiga adega da Herdade de Algeruz foi construída em 1931 (data inscrita em lápide no local) pelo então proprietário deste importante complexo agrícola, D. Gregório Gonzalez Briz, de ascendência espanhola. A adega, bem dimensionada, aproveitava da melhor forma os recursos de produção vitivinícola da região, tendo sido projectada com base nos conhecimentos adquiridos por D. Gregório Briz no prestigiado curso de Enologia da Universidade de Bordéus, nomeadamente no que respeita à adopção do inovador método de vinificação designado por Lessivage Automatique, ou sistema de ânfora argelina. Este método valeu-lhe, logo em 1937, uma distinção como "a mais moderna adega de Portugal", pela Federação Nacional dos Vinhos. O edifício é constituído por um corpo rectangular, dividido em amplas alas, que abrigavam as zonas de vinificação, um laboratório e uma destilaria, equipados com a mais moderna maquinaria e aparelhagem da época. A adega manteve-se em funções até 1986, tendo ficado devoluta a partir de então. A partir de 2000, e ao abrigo de um protocolo entre o proprietário da Herdade e a Câmara Municipal, foi aí instalado o Núcleo Museológico do Vinho e da Vinha, integrado na estrutura museológica do Museu Municipal de Palmela. Nas salas da antiga adega é hoje possível observar as diferentes etapas do processo de produção de vinho, incluindo o sistema de ânfora original. Aí se conservam os enormes tonéis, para além de muitas máquinas e ferramentas raras e em excelente estado de conservação. O núcleo museológico possui diversos meios audiovisuais, e um espaço que permite albergar exposições e outras actividades. Está enquadrado na propriedade, actualmente uma quinta com cerca de 200 hectares, e um importante volume de produção ao nível da agricultura e pecuária, entre os antigos edifícios da lavoura e o pátio da zona de habitação.
Sílvia Leite / DIDA/ IGESPAR, I.P./2009

Imagens