Saltar para o conteúdo principal da página

Edifício sito na Avenida Luísa Todi, n.ºs 97-99 (também designado por Edifício do Club Setubalense) - detalhe

Designação

Designação

Edifício sito na Avenida Luísa Todi, n.ºs 97-99 (também designado por Edifício do Club Setubalense)

Outras Designações / Pesquisas

Edifício do Clube Setubalense / Edifício na Avenida Luísa Todi, n.ºs 97-99 / Sede do Club Setubalense(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Setúbal / Setúbal (São Julião, Nossa Senhora da Anunciada e Santa Maria da Graça)

Endereço / Local

Avenida Luísa Todi
Setúbal

Número de Polícia: 97-99

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Edital n.º 11/09 de 29-09-2009 da CM de Setúbal
Delliberação de 28-09-2009 da AM de Setúbal, após proposta de 22-06-2009 da CM de Setúbal, a aprovar a classificação como de IM
Em 26-05-2009 foi dado conhecimento do despacho à CM de Setúbal
Despacho de encerramento de 9-02-2009 do director do IGESPAR, I.P.
Proposta de encerramento de 5-02-2009 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo, por não ter valor nacional
Pedido de parecer de 17-07-2008 da CM de Setúbal sobre a classificação como de IM
Edital N.º 046/2008 de 21-04-2008 da CM de Setúbal
Deliberação de 16-04-2008 da CM de Setúbal a determinar a abertura do processo de classificação como de IM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O edifício do Clube Setubalense foi construído em 1920-26, por iniciativa de José Gomes da Costa, na qualidade de proprietário. Destinava-se a albergar a sede do Clube fundado em 1855 pelas famílias mais conceituadas de Setúbal, e que aguardava instalações próprias. Os relatos da inauguração referem o luxo sóbrio dos salões, e o ambiente aristocrático da agremiação, aberta apenas aos sócios, e destinada a promover o convívio e as actividades culturais e recreativas.
Em termos arquitectónicos, trata-se de um exemplar tradicional de arquitectura eclética e revivalista, com elementos neoclássicos e barrocos, ao gosto da burguesia de então. Possui planta quadrada, e fachadas muito ornamentadas, estruturadas de forma simétrica em relação a um eixo central ligeiramente saliente, onde se rasgam vãos duplicados - duas janelas de sacada em arco redondo no piso superior, duas janelas idênticas mas de verga recta no piso médio, e duas portas com folhas em serralharia Arte Nova, rematadas em arco de ferradura, no piso térreo. As janelas são encimadas por frontões decorados com cartelas e grinaldas. O edifício é percorrido por uma platibanda de friso dentado sobre cornija sustentada por cachorros, modelada em frontões (de distintas tipologias) nos módulos centrais. No telhado existem vários lanternins, destinados a iluminar as dependências do sótão.
O acesso às diversas salas do interior faz-se através de um átrio de ligação à escadaria central, em madeira, iluminada por um vitral zenital e uma janela de sacada, ambas com vitrais Arte Nova. Algumas salas possuem pinturas a óleo nas portas de folha dupla, e diversos estuques decorativos. Actualmente, o piso térreo serve de armazém do clube, e está parcialmente alugado para comércio e serviços. O segundo piso alberga as instalações públicas da agremiação, incluindo salas de jogos, de estar e de espectáculos, e o terceiro piso é habitacional, estando dividido em dois apartamentos. No sótão ficam as dependências de serviço destes apartamentos.
Sílvia Leite / DIDA/IGESPAR, I.P./2009

Imagens