Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Chão de Couce - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Chão de Couce

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Chão de Couce (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Ansião / Chão de Couce

Endereço / Local

Rua Dr. Alberto Costa Rêgo
Chão de Couce

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação para IM - Interesse...

Cronologia

(Aguarda a alteração da categoria de classificação para MIM para se poder alterar para classificado)
Edital de 31-05-2010 da CM de Ansião
Em 17-02-2009 foi dado conhecimento do despacho de encerramento à CM de Ansião
Despacho de encerramento de 28-11-2008 do director do IGESPAR, I.P.
Proposta de encerramento de 31-10-2008 da DRC do Centro, por não ter valor nacional
Pedido de parecer de 3-10-2008 da CM de Ansião sobre a classificação como de IM
Deliberação de 11-07-2008 da CM de Ansião a determinar a abertura de procedimento de classificação como de IM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
O Pelourinho de Chão de Couce que não corresponde ao primitivo cujo paradeiro se desconhece, situa-se a Noroeste da Igreja Paroquial, no Largo D. Elvira, espaço que mantém ainda hoje um conjunto de edifícios com certa homogeneidade e interesse arquitetónico. O atual pelourinho foi erguido em 1949 ostentando, por essa razão, uma linguagem típica do Estado Novo.
O monumento localiza-se numa plataforma calcetada sendo composto por um soco de três degraus quadrangulares lisos em esquadria sobre os quais assenta a base, também de seção quadrada e em degrau. Sobre esta base surgem três discos octogonais, dois lisos e um boleado mas com ligeiro rebaixo na zona central onde assenta a base da coluna de fuste monolítico octogonal liso com 2,50 metros de altura. No terço superior da coluna, em posição saliente, surgem as cinco quinas das armas nacionais inseridas em escudo invertido que, por sua vez, ostenta na orla uma legenda com as seguintes palavras: "VILA DESDE 12.11.1514 VILA DE COUCE.
O capitel é ligeiramente esboçado por um friso semelhante ao da base, simulando uma amarração com duas pontas caídas, enquanto que o remate é constituído por uma esfera armilar sobrepujada por uma cruz de Malta com rebaixo em cruz grega.

História
Os documentos mais antigos relativos a Chão de Couce datam do século XIII e referem-se à doação de uma quinta existente neste território que pertencia a D. Afonso III. Refira-se ainda que, em 1371, esta quinta foi habitada por D. Fernando e D. Leonor Teles. Depois de ter estado incluída no rol de propriedades da Casa do Infantado, onde permaneceu até 1834, passou para a posse de privados. Chão de Couce, por sua vez, obtém de D. Manuel o seu foral a 12 de Novembro de 1514 e, com ele, o título de vila e sede de concelho com mais quatro vilas, passando a designar-se como a "Comarca das "Cinco Vilas" (Chão de Couce, Avelar, Pousaflores, Maças de D. Maria e Aguda). Com a sua extinção em 1855, por se considerar um concelho demasiado pequeno, passa a integrar o concelho de Figueiró dos Vinhos. No entanto, apenas 40 anos depois, em 1895, transita para Ansião onde se mantém ainda hoje.

Maria Ramalho/DGPC/2018

Bibliografia

Título

Pelourinhos do Distrito de Leiria

Local

Viseu

Data

2000

Autor(es)

-

Título

Ansião, Perspectiva Global da Arqueologia, História e Arte da Vila e do Concelho

Local

Coimbra

Data

1986

Autor(es)

COUTINHO, José Eduardo Reis