Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto Megalítico e de Arte Rupestre do Planalto de Castro Laboreiro - detalhe

Designação

Designação

Conjunto Megalítico e de Arte Rupestre do Planalto de Castro Laboreiro

Outras Designações / Pesquisas

Monumentos Megalíticos e Arte Rupestre do Planalto de Castro Laboreiro / Conjunto megalítico e de arte rupestre do Planalto de Castro Laboreiro(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Melgaço / Castro Laboreiro e Lamas de Mouro

Endereço / Local

- -
Planalto de Castro Laboreiro

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como SIP - Sítio de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 431-A/2013, DR, 2.ª série, n.º 124 (suplemento), de 1-07-2013 (com restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 179-D/2013, DR, 2.ª série, n.º 94 (suplemento), de 16-05-2013 (ver Anúncio)
Declaração de retificação n.º 48/2013, DR, 2.ª série, n.º 11, de 16-01-2013 (ver Declaração)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13797/2012, DR, 2.ª série, n.º 248, de 24-12-2012 (ver Anúncio)
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 24-04-2009 do subdirector do IGESPAR, I.P.

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Necrópole megalítica do Planalto de Castro Laboreiro, com cerca de 62 monumentos é uma das maiores da Península Ibérica, implantando-se numa área que abrange ainda a província da Galiza. Em território português é o conjunto mais setentrional que se conhece e aquele que se encontra a cotas mais elevadas. Apesar de, até ao momento, não terem sido estudados em toda a sua extensão, verifica-se que a maior parte dos monumentos se encontram isolados, muitas vezes dominando a paisagem, ou organizados em grupos, junto às principais portelas naturais e às nascentes do rio Laboreiro e respetivos afluentes. Observou-se, ainda, que nos esteios dos dolmens que foram objeto de intervenção arqueológica surgem gravuras com motivos essencialmente geométricos e, no caso da Mamoa 2 da Portela de Pau, são também visíveis vestígios de pintura. Relativamente à datação proposta para este conjunto, presume-se que se situe entre o Vº e o IV milénio a.C.
Maria Ramalho/DGPC/Abril 2013

Imagens