Saltar para o conteúdo principal da página

Imóvel na Rua 5 de Outubro nº 444 - detalhe

Designação

Designação

Imóvel na Rua 5 de Outubro nº 444

Outras Designações / Pesquisas

-

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Despacho de encerramento de 27-12-2007 da Subdirectora do IGESPAR, I.P.
DRCNorte propôs o encerramento

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

«O imóvel data de 1915 e foi mandado construir para habitação própria por António Pinto Souza Lello, co-proprietário juntamente com o irmão da Livraria Lello e avô da actual proprietária. O projecto é da autoria do Engenheiro Xavier Esteves, autor igualmente da Livraria Lello.
Edifício de formas simples e generosas dimensões, construído de acordo com a estética vigente no início do século, articula elementos Art Déco, nomeadamente ao nível do desenho de vãos, com soluções que parecem já inspiradas no movimento de renovação arquitectónica tradicionalista Português Suave: alpendres com telhados, floreiras nos peitoris das janelas, ambasamento com aparelho rusticado.
Destacamos, ao nível da decoração exterior, os azulejos azuis e brancos da autoria de Carlos Branco (autor também dos painéis azulejares que revestem o exterior da Igreja do Carmo), incluindo, na fachada que dá para a Rua Domingos Sequeira, um painel azulejar que representa Gutemberg e a primeira prensa, motivo alegórico, que faz alusão ao orgulho profissional de António Lello.
A organização espacial interna encontra-se inalterada e muito evocativa do quotidiano doméstico da época. Realçamos os vitrais Arte Nova, o perfeito estado de conservação dos tectos de estuque. dos papéis de parede e do mobiliário feito à medida, bem como a instalação eléctrica e telefónica de origem. (...)
A casa encontra-se ligada à figura de António Lello, à sua actividade enquanto editor e livreiro e de um modo geral à vida artística e intelectual do Porto da primeira metade do século XX, de que a casa foi palco privilegiado. O rico espólio bibliográfico e artístico - com numerosos desenhos, pinturas e esculturas de autores portugueses consagrados do último quartel do século XIX e início do século XX - é disso exemplo e contribui para um ambiente geral de originalidade e "retorno ao passado"»
David Ferreira | 29.10.2007.
Direcção Regional de Cultura do Norte

Imagens