Saltar para o conteúdo principal da página

Centro Histórico do Porto, Ponte Luiz I e Mosteiro da Serra do Pilar - detalhe

Designação

Designação

Centro Histórico do Porto, Ponte Luiz I e Mosteiro da Serra do Pilar

Outras Designações / Pesquisas

Centro Histórico do Porto (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto; Vila Nova de Gaia / Lordelo do Ouro e Massarelos; Santa Marinha e São Pedro da Afurada

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Aviso n.º 19137/2018, DR, 2.ª série, n.º 245, de 20-12-2018 (ver Aviso)
Designação alterada para Centro Histórico do Porto, Ponte Luiz I e Mosteiro da Serra do Pilar na 40.ª Sessão do Comité do Património Mundial, em julho e outubro de 2016
Aviso n.º 15173/2010, DR, 2.ª série, n.º 147, de 30-07-2010 (ver Aviso)
Ao abrigo do art.º 15.º, n.º 7, da Lei n.º 107/2001, de 8-09-2001 (por ter sido inscrita na Lista do Património Mundial da UNESCO, na 20.ª Sessão do Comité do Património Mundial, em dezembro de 1996, com a designação de Centro Histórico do Porto) (ver Lei)
Inscrito na Lista do Património Mundial na 20.ª sessão do Comité do Património Mundial da UNESCO, em Dezembro de1996 (ver Lista)

ZEP

Aviso n.º 19137/2018, DR, 2.ª série, n.º 245, de 20-12-2018 (repôs a ZEP) (ver Aviso)
Nova sentença, no mesmo sentido, de 14-11-2012 do Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto
Sem efeito, por sentença de 10-12-2010 do Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto, confirmada por sentença de 18-03-2011 da Secção de Contencioso Administrativo do Tribunal Central Administrativo Norte, que suspendeu a eficácia do aviso anterior no que se refer à ZEP
Aviso n.º 15173/2010, DR, 2.ª série, n.º 147, de 30-07-2010 (ver Aviso)
Zona tampão aprovada na 20.ª Sessão do Comité do Património Mundial, em dezembro de 1996

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Inscrito na Lista da UNESCO

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Conjunto
A 5 de dezembro de 1996, na cidade de Mérida, México, o conjunto formado pelo Centro Histórico do Porto, a Ponte D. Luís e o Mosteiro da Serra do Pilar foi acrescentado à lista do Património Mundial da UNESCO. Esta classificação teve por base o critério IV, ou seja, foi considerado um "exemplo excecional de um tipo de construção ou de conjunto arquitetónico, tecnológico ou paisagístico que ilustra um, ou mais períodos significativos da história da humanidade".
Em 2016, o Comité do Património Mundial alterou a denominação do bem classificado para "Centro Histórico do Porto, Ponte Luiz I e Mosteiro da Serra do Pilar" quando antes constava apenas a designação "Centro Histórico do Porto".
Situada na desembocadura do Douro e dispersa sobre colinas, a cidade do Porto oferece uma paisagem urbana excecional, cujas origens remontam ao século VIII a. C.
O denominado centro histórico é hoje constituído por um conjunto tão diverso como harmonioso de edifícios, jardins e espaços públicos com origem em diferentes épocas e estilos, incluindo diversos monumentos, desde a catedral de origem românica, até aos impressionantes imóveis já do período industrial.
A ponte D. Luís I que prolonga, para a outra margem do rio, o valor do Bem classificado, possibilita ainda hoje o acesso a diferentes pontos das cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia. A sua construção em ferro de consideráveis dimensões ficou a dever-se a Théophile Seyrig e Joaquim de Matos, tendo sido inaugurada em 1886.
Do outro lado do rio, já em território de Gaia, surge bem implantado, no cimo de uma escarpa que domina o Douro mas também a cidade do Porto, o Mosteiro da Serra do Pilar, exemplar maneirista único no país. Fundado em 1537 para albergar os Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, a sua igreja destaca-se pela planta circular coberta por abóbada hemisférica rodeada por varandim e coroada por lanternim. No interior do templo sobressaem os trabalhos em talha dourada ou dourada e branca. Conserva ainda um claustro com abóbada circular e nervura central apoiada em colunas jónicas.

História
A presença do Douro foi fundamental para a implantação, na colina da Sé, das primeiras comunidades humanas durante o Bronze Final. Conhecem-se, também, testemunhos romanos logo a partir do séc. I a. C. alargando-se, nesta altura, o perímetro inicial da urbe para o rio. Com o final do período romano a cidade de Portucale, nome que então tinha, assistirá à passagem de vários povos desde Suevos, Visigodos e até Muçulmanos. No período medieval afirmam-se já dois polos urbanos: a zona ribeirinha ligada à atividade comercial, e o Morro da Sé que se mantém como centro do poder eclesiástico e onde, no séc. XII, será erguida a catedral e uma estrutura amuralhada. No entanto, devido ao aumento da população assiste-se, no último quartel do séc. XIV, à construção de uma nova muralha, a muralha fernandina.
O séc. XVIII ficará marcado pelo surgimento de grandes edifícios civis, empreendimentos públicos e aumento de população, tendo em conta o desenvolvimento económico da região. Com o Liberalismo emergem novas teorias urbanísticas por influência da burguesia mercantil e industrial que se afirma na cidade, ocasionando, na primeira metade do séc. XX, uma ocupação intensa da zona histórica, ao mesmo tempo que aumentam as carências tanto ao nível de infraestruturas básicas, como de habitação, tendo em conta o crescimento da população. Apenas após a Revolução de Abril serão criadas algumas condições para que se comece a inverter esta situação, assistindo-se a operações de reabilitação dos bairros mais degradados, permitindo a permanência dos antigos habitantes. Atualmente, num processo inverso, a especulação imobiliária e o turismo de massas que atinge especialmente a zona histórica, tem vindo a colocar sobre grande pressão o património da cidade, bem como a população local e as suas atividades tradicionais.

Maria Ramalho/DGPC/2020.

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal, Património Mundial - Objectos singulares, objectos universais

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

PEREIRA, Paulo, SANTANDREU, Roberto, NASCIMENTO, José Carlos