Saltar para o conteúdo principal da página

Menir da Pedra d' Anta - detalhe

Designação

Designação

Menir da Pedra d' Anta

Outras Designações / Pesquisas

Veiga da Anta / Anta de Alvadia / Pedra de Anta (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Ribeira de Pena / Alvadia

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)

Cronologia

Anúncio n.º 150/2020, DR, 2.ª série, n.º 130, de 7-07-2020 (ver Anúncio)
Despacho de 30-01-2020 da diretora-geral da DGPC a determinar a abertura do procedimento de classificação de âmbito nacional
Proposta de 28-10-2019 da DRC do Norte para a abertura de procedimento de classificação de âmbito nacional
Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Edital de 28-11-2007 da CM de Ribeiro da Pena
Despacho de abertura de 8-11-2007 do director do IGESPAR, I.P.
Proposta de 2-11-2017 da DRC do Norte para abertura de procedimento de classificação de âmbito nacional
Em 22-06-2007 a CM de Ribeira de Pena enviou a cartografia solicitada
Em 19-06-2007 foi solicitada cartografia à CM de Ribeira de Pena

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A cerca de 500 metros da povoação de Alvadia, em plena zona de planalto da Serra do Alvão, a Pedra da Anta é um monumento de reconhecido interesse histórico, porque documenta a passagem e a organização do território serrano durante os primeiros tempos de ocupação humana. É um menir, ou mesmo uma estátua-menir, estrategicamente colocado entre o planalto e o vale de Cerva e Limões, entre a falha do rio Poio e os cumes do Alvão, o que lhe confere uma centralidade paisagística e territorial ainda hoje apreensível.
Deitada ao lado do buraco original onde se implantava, é um monólito intacto, de 4,30 metros de comprimento, cujo primeiro terço, de base rectangular, deveria estar oculto pelo solo. A secção acima do terreno é de feição elíiptica e apresenta duas faces, uma das quais decorada com cruzes de marcação relativamente recente, num curioso, mas muito frequente processo de cristianização de antigos testemunhos territoriais.
Este menir integra-se numa paisagem com numerosos elementos pré-históricos. Do outro lado da serra existe o menir da Praina do Outeiro 3 e, segundo a tradição local, existia nas proximidades um outro monumento megalítico, um pouco mais baixo que, em momento indeterminado, foi partido em vários pedaços, tendo os seus restos sido incorporados no aparelho de enchimento de um curral próximo.
Paulo Fernandes | DIDA | IGESPAR, I. P.
13.11.2007 (adapt. IPA).

Imagens