Saltar para o conteúdo principal da página

Porta da Tapada, em São Bento, Vila Viçosa - detalhe

Designação

Designação

Porta da Tapada, em São Bento, Vila Viçosa

Outras Designações / Pesquisas

Porta de São Bento, Porta Real / Tapada Real(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Vila Viçosa / Nossa Senhora da Conceição e São Bartolomeu

Endereço / Local

Tapada de Vila Viçosa
Vila Viçosa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Edital 85/2006, DR, 2.ª série, n.º 227, de 24-11-2006 (ver Edital)

ZEP

Despacho de 6-01-2014 da diretora-geral da DGPC a devolver o processo à DRC do Alentejo para reanálise
Proposta de 18-11-2013 da DRC do Alentejo para alteração da ZEP, no sentido de serem introduzidas restrições
Portaria n.º 527/2011, DR, 2.ª série, n.º 88, de 6-05-2011 (com ZNA) (como o Centro Histórico de Vila Viçosa não está classificado, fixou a ZEP conjunta dos imóveis classificados e em vias de classificação do centro histórico de Vila Viçosa e revogou o diploma anterior) (ver Portaria)
Portaria n.º 223/2010, DR, 2.ª série, n.º 57, de 23-03-2010 (fixou a ZEP conjunta do Centro Histórico de Vila Viçosa) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 12-06-2007 da Ministra da Cultura
Parecer favorável de 31-05-2006 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 21-02-2006 da DR de Évora

Zona "non aedificandi"

Portaria n.º 527/2011, DR, 2.ª série, n.º 88, de 6-05-2011
Portaria n.º 223/2010, DR, 2.ª série, n.º 57, 23-3-2010

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada a Norte da vila, nas imediações da Ermida e atalaia de S. Bento, a Tapada Real, que corresponde a um antigo couto de caça, integra uma área murada com cerca de 1500 hectares, a maior parte dos quais pertencem ao concelho de Borba. No perímetro da cerca existe ainda uma casa de fundação quinhentista, várias capelas, fontes, cursos de água e um ecossistema muito rico onde predomina o sobro e o azinho e onde se destaca um considerável número de animais como veados, javalis, raposas, perdizes, cegonhas e algumas aves de rapina, entre outras espécies.
O alto muro envolvente é rasgado por seis portas: a Porta de São Bento, conhecida também como Porta da Tapada ou Porta Real, a Porta de Santa Bárbara ou Porta Velha, a Porta de Mercandela, a Porta de Santo António, a Porta do Ferro e a Porta da Albufeira, no extremo oposto à primeira.
A Porta da Tapada servia o Paço Ducal, constituindo a entrada principal no perímetro fechado. Situada no Alto de São Bento, no topo mais próximo da zona urbana e a Norte desta, dá acesso à chamada Tapada de Cima.
Construída no século XVIII, a porta integrou as obras de melhoramento que D. João V, 11º Duque de Bragança, realizou no palácio e respetiva envolvente a partir de 1729. O conjunto, em mármore da região, consta de um grande vão apilastrado de verga reta, com frontão contracurvado de volutas, de estilo barroco, onde se destaca um imponente brasão régio. Trata-se da representação de aparato do escudo das quinas com bordo inferior em bico de arco contracurvado, ladeado por enrolamentos de volutas, motivos vegetalistas, e uma cabeça de serpe ou dragão, encimado por coroa fechada, com cinco arcos em vista. No alçado posterior é visível a data de 1752, supostamente o ano de execução da obra. O gradeamento existente, que deverá ser original do século XVIII, apresenta dois batentes de barras de ferro transversais e horizontais com motivos zoomórficos a ornamentar a zona do fecho e uns escudetes armoreados nos espelhos dos gonzos.

História
a Tapada Real terá sido inicialmente criada por D. Jaime, 4º Duque de Bragança por volta do anos de 1515, alguns anos depois de ter mandado erguer o Palácio Ducal. A Tapada integrou, na sua origem, a Herdade do Mato situada entre as ribeiras de Borba e da Asseca, tendo depois sido ampliada pelos sucessivos monarcas. Atualmente este notável espaço verde encontra-se, tal como o Paço Real ao qual sempre esteve associado, integrado na propriedade da Fundação da Casa de Bragança.

Sílvia Leite/IPPAR/2007. Atualizada por Maria Ramalho/DGPC/2016 com a colaboração de Helder Soeiro/C.M.V.V.

Imagens