Saltar para o conteúdo principal da página

Paço Episcopal de Pinhel - detalhe

Designação

Designação

Paço Episcopal de Pinhel

Outras Designações / Pesquisas

Paço Episcopal de Pinhel(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Pinhel / Pinhel

Endereço / Local

Parada Coronel Lima da Veiga
Pinhel

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)

Cronologia

Anúncio n.º 299/2014, DR, 2.ª série, n.º 249, de 26-12-2014 (ver Anúncio)
Despacho de 20-10-2014 do Secretário de Estado da Cultura a determinar a abertura de novo procedimento da classificação
Parecer favorável de 2-10-2014 da DGPC
Proposta de 3-09-2014 da DRC do Centro para abertura de novo procedimento de classificação
Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Despacho de abertura de 15-05-2002 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 16-05-2000 da DR de Coimbra
Proposta de classificação de 22-03-1973 da CM de Pinhel, na sequência de deliberação camarária de 26-01-1973

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A diocese de Pinhel foi criada em 1770, sendo extinta cerca de cem anos depois. Foi o terceiro bispo, D. José António Pinto de Mendonça, quem, em 1783, mandou edificar no centro da cidade o Paço Episcopal, cuja campanha de obras decorreu até ao ano de 1797. O projecto do bispo fundador integrava também a construção de um seminário e da sé catedral, nunca erigidos.
O edifício do paço desenvolve-se em planta quadrangular, em torno de um pátio interno. As fachadas são marcadas pela abertura de janelas, a espaços regulares, que se dividem pelos dois pisos.
Na fachada principal foi rasgado, ao centro, o portal principal, com moldura de rusticado , sobre a qual se abre uma varanda com guarda de ferro. O frontispício é rematado por frontão, onde foi inserido o brasão episcopal. Esta estrutura exterior apresenta muitas semelhanças com a Casa das Obras, em Seia.
Depois da extinção do bispado em 1882, o edifício do Paço Episcopal foi comprado pela Câmara Municipal de Pinhel, tendo sido utilizado até à actualidade para diversos fins.
No ano de 1888 foi aí instalado o Regimento de Infantaria 34, e em 1938 parte do espaço foi ocupado pela Biblioteca Pública. Na década de 40 do século XX, o paço passaria a albergar o quartel da GNR e o posto da PSP.
A partir de meados da centúria, parte do espaço é destinado a instalações escolares, função que mantém até hoje. Em 1954 foi aberto o Colégio da Beira, e em 1972 o liceu ocupou o espaço anteriormente cedido à GNR. No ano de 1990, o edifício foi doado pela câmara ao Instituto de Apoio Sócio-Educativo, servindo actualmente de residência de estudantes.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2006

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Pinhel Falcão

Local

Celorico da Beira

Data

1943

Autor(es)

MARTA, Ilídio

Título

Três Dioceses Pombalinas. Castelo Branco. Penafiel. Pinhel, Lusitânia Sacra, Tomo III, pp. 165-233

Local

-

Data

1958

Autor(es)

BRÁSIO, António

Título

Breve Notícia sobre a extinta diocese de Pinhel, Boletim da Liga dos Amigos de Pinhel, nº 2, Agosto 1970

Local

Pinhel

Data

1970

Autor(es)

-