Saltar para o conteúdo principal da página

Casa e Quinta de Castro, também denominada Castelo de Castro - detalhe

Designação

Designação

Casa e Quinta de Castro, também denominada Castelo de Castro

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Castro / Torre do Castro / Castelo do Castro / Casa da Torre / Torre dos Machados (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Amares / Carrazedo

Endereço / Local

- -
Lugar do Castro

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-ED/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (ver Portaria)
Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Procedimento prorrogado até 31-12-2011 pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Parecer favorável de 28-10-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 13-07-2009 da DRC do Norte para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 4-09-2008 da subdirectora do IGESPAR, I.P.
Proposta de abertura de 17-07-2008 da DRC do Norte
Proposta de classificação de 15-05-2006 do proprietário

ZEP

Portaria n.º 740-ED/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 28-10-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 13-07-2009 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Em 1751, o Padre Luís Cardoso descrevia assim a Casa de Castro: "(...) em hum alto esta situada, a casa e palaçio (...) cuio tem huma torre fortisima (...) cuia caza e torre esta em redondo murada, com muros fortes, ao modo de acastellados, com seu arco de pedra muito antigo, e com sua nora donde tiraua agoa pera a dita caza (...)"(CARDOSO, 1751).
Na verdade, a "torre fortisima" de Castro, rematada por merlões e matacães e rodeada por fosso defensivo e muralhas, terá sido construída em meados do século XIV, pertencendo à família dos Machados, Senhores de Entre Homem e Cávado.
No inicio da centúria de Quinhentos, Manuel Machado de Azevedo mandou fazer obras de remodelação na torre medieval, e no final do século foi-lhe adossado um edifício rectangular, correspondente à ala residencial. Esta edificação de dois pisos caracteriza-se pela irregularidade da tipologia e disposição das diversas fenestrações, apresentando a entrada principal, precedida de escadaria, no registo superior de uma das fachadas laterais.
Desta época datará também a campanha decorativa dos salões da Casa, correspondendo a um núcleo de pinturas de "interessante sabor mitológico-pagão", como A conquista de Tróia ou A Aurora e Meridies, e um outro conjunto, representando diversas "cenas da vida dos senhores de Castro", executadas cerca de 1598 pelo pintor Manuel Arnao Leitão, cuja autoria "é atestada por evidentes afinidades de estilo com outras obras galegas já referenciadas: o mesmo tipo de desenho atarracado com figuras em frustres torções serpentinadas e dinâmicas, cromatismo cálido, tecidos moldados com dureza, fundos de arquitectura articulados em ambíguos jogos de planos, "receitas" de figurinos, e de alguns escorços, repetidas como uma constante do artista" (SERRÃO, 1998, p. 252-254).
Em 1699 D. António Félix Machado financiou obras de remodelação da torre, conforme atesta a inscrição colocada numa das fachadas, "ESTA TORE MANDOV / REFORMAR ANTONIO / E LVIZA SVA MVLHER / SENHORES E DONATA / RIOS DESTE CONCº / ANO DE 1699". No entanto, o terramoto de 1 de Novembro de 1755 danificou a estrutura do solar, nomeadamente provocando a queda de parte das ameias.
Em meados do século XX, o proprietário da Casa iniciou a reconstrução dos edifícios, que então se encontravam em avançado estado de ruína, preservando o conjunto até à actualidade.
Catarina Oliveira
DIDA/IGESPAR/ Abril de 2009

Imagens

Bibliografia

Título

Diccionario geografico, ou noticia historica de todas as cidades, villas, lugares, e aldeas, Rios, Ribeiras, e Serras dos Reynos de Portugal e Algarve, com todas as cousas raras, que nelles se encontrão, assim antigas, como modernas, vol. II

Local

Lisboa

Data

1751

Autor(es)

CARDOSO, Pe. Luís

Título

Pedras de armas e armas tumulares do distrito de Braga

Local

Braga

Data

1972

Autor(es)

NÓBREGA, Artur Vaz Osório da

Título

Palácios e casas senhoriais do Minho

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Solares Portugueses - Introdução ao Estudo da Casa Nobre

Local

Lisboa

Data

1969

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Em torno da residência senhorial fortificada. Quatro torres medievais da região de Amares, Lucerna, 2ª série, vol. 3, pp.281-335

Local

Porto

Data

1993

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge