Saltar para o conteúdo principal da página
Itinerários Arqueológicos do Alentejo e Algarve

Povoado Pré-Histórico de Santa Vitória

Designação

Povoado Pré-Histórico de Santa Vitória (Campo Maior)

Localização - Concelho / Distrito

Campo Maior / Portalegre

Classificação

-

Cronologia

Calcolítico (III Milénio a.C)

Caracterização

Este sítio arqueológico situa-se na propriedade agrícola de vale da Preguiça, na proximidade da vila de Campo Maior. Tem um bom acesso através dum caminho alcatroado, situado à direita da E.N. 373 Campo Maior/Elvas, ao Km 10,6, que serve o depósito de água municipal construído no limite Sul da plataforma superior da elevação, onde se desenvolve o povoado pré-histórico.

  • Vista parcial do conjunto

  • Estrutura de observação elevada sobre o conjunto

A área arqueológica de cerca de 1 hectare foi adquirida pelo Estado Português, tendo sido efectuado o auto de cessão ao IPPAR a 28 de Outubro de 1997. Decorre o processo de classificação como imóvel de Interesse Público.

Os trabalhos arqueológicos permitiram identificar um povoado com uma ocupação ao longo da primeira metade do III milénio a. C., na qual se distinguem duas grandes fases.

A primeira fase, mais antiga, é definida por um recinto central (acrópole) cercado por um sistema defensivo constituído por fossos e muralhas de adobe. Estão identificadas duas linhas de fossos, havendo fortes probabilidades de se encontrar uma terceira. A par da identificação do sistema defensivo foram descobertas várias fossas com funções diversas: silos, cisternas, áreas habitacionais.

O aparecimento de silos e de grandes contentores em cerâmica atestam a armazenagem de alimentos e de água, o que contrasta com o pequeno número de artefactos ligados aos trabalhos nos campos ( machados, enxós...).

A tecelagem está atestada pela presença de pesos de tear e a transformação do leite é deduzida pela recolha de um número significativo de fragmentos de queijeiras. A segunda fase corresponde a um conjunto de lareiras e de vestígios de cabanas implantadas sobre as anteriores estruturas escavadas na rocha. Esta ocupação aproveita os desníveis de terreno, certamente existentes pelo enchimento parcial e irregular dos fossos, construídos na anterior fase, ignorando a sua funcionalidade original. Os materiais cerâmicos, de menor qualidade técnica estão representados por contentores, recipientes ligados à manufactura dos alimentos (associados às lareiras) e ao seu consumo (pratos e taças). Igualmente estão presentes os pesos de tear e as queijeiras.


Acolhimento de Visitantes

  • Estrutura-mirante para observação superior, interpretação do povoado e território envolvente

  • Percurso de visita sinalizado


Horário

Recinto Aberto


Entrada

Gratuita


Acessos

Junto à vila de Campo Maior, na saída para Elvas pela EN 373. O acesso faz-se através de um caminho alcatroado à direita da estrada, ao Km 10.6


Mais Informações

Direcção Regional de Cultura do Alentejo

Tel +351 266 769 450

Fax +351 266 769 451

E-mail: info@cultura-alentejo.pt

Sítio: http://www.cultura-alentejo.pt