Saltar para o conteúdo principal da página
Itinerários Arqueológicos do Alentejo e Algarve

Circuito Arqueológico da Cola

Designação

Circuito Arqueológico da Cola (Ourique)

Localização - Concelho / Distrito

Ourique / Beja

Classificação

Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Neolítico / Calcolítico / Idade do ferro / Medieval

Caracterização

O circuito arqueológico do Castro da Cola surgiu como corolário de extensos trabalhos de investigação que, no entanto, estão ainda longe de possibilitar o conhecimento total da realidade arqueológica do concelho de Ourique.

  • Vista da envolvente de Castro da Cola

  • Vista de um dos núcleos da necrópole Fernão Vaz

  • Centro de acolhimento e interpretação e vista parcial sobre as ruínas

A ideia da sua criação partiu do desejo de mostrar como a paisagem, na aparência agreste, foi, desde épocas recuadas, profundamente marcada pelo Homem. A selecção dos locais foi ditada, não pela monumentalidade dos sítios, mas de modo a contribuir para a diversidade - morfológica, funcional e cronológica - para o desvendar de uma paisagem organizada em torno de um fio condutor - o rio Mira - que funcionou, desde sempre, como o elemento aglutinante das populações deste território.

Dos cerca de trinta sítios conhecidos na região foi seleccionado um conjunto de quinze que, pelo seu estado de conservação e inserção na paisagem, reuniam as melhores condições para uma apresentação ao público: monumentos megalíticos de Fernão Vaz 1, Fernão Vaz 2 e Nora Velha, povoado calcolítico do Cortadouro, necrópoles da Idade do Bronze de Alcaria 1 e Alcaria 2 e Atalaia, povoados da Idade do Ferro de Porto das Lages e Fernão Vaz, necrópoles e monumentos funerários da Idade do Ferro de Fernão Vaz, Nora Velha 2, Vaga da Cascalheira, Casarão e Pego da Sobreira e povoado fortificado islâmico e medieval cristão da Cola (Castro da Cola).


Acolhimento de Visitantes

  • Centro de Acolhimento e Interpretação, onde se disponibiliza informação sobre o circuito, o seu enquadramento natural e os diferentes sítios arqueológicos seleccionados;

  • Loja, publicações de apoio aos visitantes, materiais de divulgação;

  • Estacionamento de ligeiros e autocarros;

  • A partir do Centro de Acolhimento e Interpretação, os visitantes poderão aceder, de automóvel, aos diferentes sítios, apoiando-se nas indicações da sinalética instalada; parte do circuito apenas poderá ser realizado em veículo todo-o-terreno, enquanto que outros troços terão de ser efectuados a pé;

  • O circuito integra-se num contexto natural de admirável riqueza e interesse paisagísticos, só se tornando possível pela colaboração dos respectivos proprietários; ao efectuar a sua visita tenha esse facto em conta, respeitando-o e contribuindo para a sua limpeza, manutenção e salvaguarda.


Horário

Verão (1 de Maio a 15 de Setembro): 09h30 – 12h30 / 15h00 – 18h30

Inverno (16 de Setembro a 30 de Abril): 09h30 – 12h30 / 14h00 – 17h30

Encerra nos feriados de 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro


Acessos

O circuito situa-se a cerca de 15 km de Ourique, com acesso pelo IC1 que liga Lisboa ao Algarve.


Mais Informações

Direcção Regional de Cultura do Alentejo

Tel +351 266 769 450

Fax +351 266 769 451

E-mail: info@cultura-alentejo.pt

Sítio: http://www.cultura-alentejo.pt

Centro de Acolhimento e Interpretação

Telf. +351 286 516 259