Saltar para o conteúdo principal da página

Notícias 16/02/2017

Inscrição da "Arte-Xávega" (Costa da Caparica, Almada) no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial

Por Despacho da Diretora-Geral do Património Cultural, de 7 de fevereiro de 2017, procedeu-se à inscrição da Arte-Xávega (Costa da Caparica, Almada) no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, na sequência de uma proposta elaborada pelo Centro de Arqueologia de Almada e apresentada pelo Município de Almada.

Clique AQUI para aceder ao texto do Anúncio relativo à decisão da DGPC sobre o pedido de inventariação (Anúncio n.º 14/2017, publicado em Diário da República, 2.ª série, N.º 34, de 16 de fevereiro de 2017).

 

A Arte-Xávega consiste numa técnica tradicional de pesca com recurso a uma rede de cerco, lançada no mar e depois puxada, ou alada, para a praia. A arte, como é designado o conjunto constituído por cordas, alares e saco, é lançada ao mar a partir de uma embarcação, deixando em terra a ponta da corda designada por banda panda. Depois de largar a rede, a embarcação regressa à praia trazendo a outra ponta de corda, designada por banda barca. Logo que a segunda corda chega à praia inicia-se o processo de alagem em simultâneo de ambas as cordas, puxando para a praia a rede, cuja boca é mantida aberta com recurso a flutuadores e pesos.

Na comunidade piscatória da Costa da Caparica (Almada), este tipo de pesca realiza-se ao longo de todo o ano, encontrando-se largamente dependente das condições meteorológicas e do estado do mar, assim como, na época balnear, dos próprios condicionalismos de acesso às áreas de praia concessionadas. Esta comunidade piscatória é atualmente constituída por dois núcleos localizados na freguesia, um na Costa da Caparica e outro na Fonte da Telha, cada qual conta com cinco companhas de Arte-Xávega, que exercem a sua atividade em toda a frente atlântica até, mais a Sul, à Lagoa de Albufeira.