Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Museu Municipal de Espinho

O Museu Municipal de Espinho foi criado em 2009, após a reconversão do edifício da antiga fábrica de conservas Brandão, Gomes & C.ª Lda., no atual Forum de Arte e Cultura de Espinho. O Museu ocupa o núcleo central da antiga fábrica de conservas, prolongado no primeiro andar por duas galerias para exposições temporárias, designadas de Galerias Amadeo de Souza-Cardoso, constituindo-se, assim, o espaço nobre do edifício. Assume-se como um espaço dinâmico e de interação com a comunidade, assente nas coleções provenientes da antiga fábrica de conservas Brandão, Gomes & C.ª, arte-xávega, coleções relacionadas com a atividade e tradição balnear, e coleções arqueológicas, históricas, artísticas, industriais, etnográficas, documentais e imagéticas decorrentes de um território com uma forte vocação marítima e rural.

Compete-lhe promover a recolha, estudo e preservação da história e memória social no território que, em Espinho, teve como pilares fundamentais do desenvolvimento municipal e da identidade singular do concelho, fatores como a instalação de comunidades piscatórias e indústrias como a conserveira,  a emergência de uma colónia balnear de prestígio e o tipo de arquitetura e urbanismo a ela associados, sempre em paralelo com a implantação do caminho-de-ferro e o desenvolvimento económico, político e social que lhe são inerentes. Assim, abarca o estudo de temas que vão desde a história local à arqueologia, à etnografia, à inventariação e estudo do património industrial, náutico, entre outros relevantes para a caraterização da realidade cultural do município.

Na atualidade o Museu Municipal de Espinho possui três coleções em exposição permanente. A coleção da antiga Fábrica Brandão, Gomes & C.ª constituída por produtos de conserva diversos, fotografias documentais, documentos de escritório, telas, louças, zincogravuras e outros materiais para impressão, rótulos e cartazes e materiais utilizados no circuito industrial e de expedição; a coleção da arte-xávega, representada por barcos, redes, cestos, cabazes, cordas, agulhas de rede, trajes, boias, diversos materiais utilizados no apetrecho das embarcações, fotografias documentais, artesanato relacionado com a pesca de cerco e alar para terra, e documentação de contabilidade e apuro da faina; um conjunto de bens culturais oriundos do bairro piscatório, que integra mobiliário, roupa e adereços de quarto, fotografias documentais e objetos relacionados com o culto religioso.

Contactos e
Localização

Tutela:
Câmara Municipal de Espinho
Director(a):
Armando Bouçon Ribeiro
Endereço:
Fórum de Arte e Cultura de Espinho
GPS:
Lat: 0 Long: 0
Telf(s):
227326258
E-mail:
museu.municipal@cm-espinho.pt
Site:
https://museumunicipal.espinho.pt/

Seg a Sex - 10h00 às 17h00

Sábados - 10h00-13h30 / 14h30-18h00

Encerra aos Domingos e Feriados

Ingresso

Entrada - 1,20 €

Visita guiada - 1,80 €

Visita guiada + atividade educativa - 2,40 €

Aniversários no museu por criança - 5,90 €

Última actualização: 27 Setembro 2021

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 161 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC