Saltar para o conteúdo principal da página

Museu Municipal de Vila Franca de Xira

O Museu Municipal de Vila Franca de Xira estuda, expõe e divulga as coleções museológicas resultantes dos programas de investigação, das recolhas e dos projetos de conservação e restauro, realizados de forma pluridisciplinar. O acervo do museu é constituído por coleções de arqueologia, artes plásticas, azulejaria, documentação, materiais gráficos, património industrial, epigrafia, fotografia, numismática e têxteis. O espólio arqueológico é muito significativo, com particular destaque para os materiais recolhidos na Villa romana de Povos, no Vale de Santa Sofia e no Monte dos Castelinhos. Os grandes objetivos programáticos do Museu Municipal de Vila Franca de Xira, que estão no âmbito da investigação, conservação e documentação, comunicação e educação, são concretizados através de uma ligação estreita entre o Museu e as comunidades locais, e para tal, foi criada uma rede de espaços museológicos em diferentes pontos do Concelho.

Tendo na sua génese o empenho e dedicação de António José Vidal Baptista, advogado e colecionador vila-franquense, o Museu Municipal de Vila Franca de Xira foi criado por deliberação de Câmara de 30 de dezembro de 1949, e abriu ao público em 7 de julho de 1951. 

Entre 1972 e 1980 assistiu-se ao decréscimo da ação do Museu e verificou-se, simultaneamente, a carência de instalações e quadros técnicos que originaram o seu encerramento. Em 1985 reabre o Núcleo-sede, desta feita ocupando parte de um edifício setecentista na Rua Serpa Pinto em Vila Franca de Xira. 

Seguindo uma linha de tendência territorial enquadrada pelo próprio território do município, o conceito programático do Museu Municipal foi-se alicerçando numa perspetiva polinucleada e descentralizada no espaço geográfico do Concelho.

Em1988 é constituído o seu segundo núcleo museológico com a aquisição e a recuperação de um Barco Varino do Rio Tejo, “Liberdade”.

Em 1990 foi aberto ao público o terceiro núcleo museológico na cidade de Alverca do Ribatejo.

Em 2001 foi inaugurado o Núcleo Museológico de Arte Sacra, na Igreja do Mártir Santo São Sebastião, em Vila Franca de Xira, atual Núcleo Museológico do Mártir Santo.

De 1995 a 2003, o núcleo-sede funcionou provisoriamente no Palácio do Sobralinho, tendo em 2003 reaberto ao público, novamente no antigo palacete setecentista em Vila Franca de Xira, recuperado e ampliado para o efeito.

Em 2010 foi inaugurado na freguesia Forte da Casa, o Centro Interpretativo do Forte da Casa.

O mais recente núcleo museológico situa-se no Parque Urbano da Póvoa de Santa Iria, tem a designação de Núcleo Museológico “A Póvoa e o Rio” e foi inaugurado em 2013.

Núcleos

Núcleo-Sede - Vila Franca de Xira

Núcleo do Barco Varino “Liberdade” - Vila Franca de Xira

Núcleo museológico na cidade de Alverca do Ribatejo

Núcleo Museológico do Mártir Santo -  Vila Franca de Xira

Centro Interpretativo do Forte da Casa - Forte da Casa

Núcleo Museológico “A Póvoa e o Rio” - Póvoa de Santa Iria 

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
Director(a):
Maria de Fátima Faria Roque
Endereço:
Rua Serpa Pinto, nº 65 - 2600-263 Vila Franca de Xira
GPS:
Lat: 38,95297410000001 Long: -8,987497299999973
Telf(s):
+ 351 263 280 350
Fax(s):
+351 263 280 358
E-mail:
museumunicipal@cm-vfxira.pt
Site:
http://www.museumunicipalvfxira.pt/

Como chegar: De carro: A1, EN1 e EN10.
Comboios: Estação de comboios: Vila Franca de Xira
Autocarros urbanos: Dispoiníveis várias empresas de transportes
Barco: Marina da União Desportiva Vilafranquense

Estacionamento: Consultar informação em: http://www3.cm-vfxira.pt/files/3/documentos/20100518102425593523.pdf

Acessibilidade: Acesso a pessoas com mobilidade reduzida.

Museu Municipal – Núcleo-sede: terça-feira a domingo das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerra aos feriados.

Núcleo Museológico Barco Varino “Liberdade”: mediante marcação prévia.

Núcleo Museológico de Alverca: de terça-feira a domingo das 10h00às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Encerra aos feriados.

Núcleo Museológico do Mártir Santo: de terça-feira a domingo das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerra aos feriados.

Centro Interpretativo do Forte da Casa: de terça-feira a domingo das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerra aos feriados.

Núcleo Museológico A Póvoa e o Rio: de quarta-feira a domingo das 9h30 às 12h30 e da 14h00-17h30. Encerra aos feriados.

Ingresso

Entrada gratuita no Museu Municipal e respetivos núcleos museológicos.

Receção/Bengaleiro;

Centro de documentação (Núcleo-sede e Núcleo Museológico de Alverca);

Loja (Núcleo-sede, Núcleo Museológico de Alverca e Núcleo Museológico do Mártir Santo);

Espaço polivalente para realização de atividades de divulgação do património local - colóquios, encontros, seminários, lançamento de livros, cursos (Núcleo-sede e Núcleo Museológico de Alverca);

Apoio a investigadores;

Sala para oficinas educativas;

Serviços educativos

Atividades: O serviço educativo do Museu Municipal é desenvolvido no Núcleo-sede e restantes núcleos museológicos, bem como no espaço geográfico do Município de Vila Franca de Xira, incluindo atividades nas escolas do Concelho. Tem como grande objetivo, partilhar saberes e divulgar o património cultural, pelo que disponibiliza uma série de ações educativas que ajudam a esse objetivo e que estão expressas no programa educativo “O Museu Oferece” (consultável na página web do Museu Municipal)

Tipo de Atividades: Visitas guiadas às exposições temporárias e ao património do concelho; oficinas educativas/temáticas; teatros de sombras e fantoches; colóquios/conversas sobre património e história; exposições itinerantes; maletas pedagógicas; outras ações educativas realizadas em datas especiais e comemorativas; programas culturais para jovens, famílias e público sénior.

Coleção Património Local: •João Amaral, Ofertas Históricas Relativas à Povoação de Vila Franca de Xira para Instrução dos Vindouros, 1º vol. 1991; • Lino de Macedo, Antiguidades do Moderno Concelho de Vila Franca de Xira, 1992; • Lino de Macedo, Apontamentos para a História do Movimento Republicano no Concelho de Vila Franca de Xira, 1993; • João Amaral, Ofertas Históricas Relativas à Povoação de Vila Franca de Xira para Instrução dos Vindouros, 2º vol. 1997; • Guilherme Henriques, Subsídios para a História do Concelho de Vila Franca de Xira, 1997; • José Costa, Roteiro Bibliográfico de Vila Franca de Xira, 1998; • José Costa, Vila Franca de Xira, Cronologia do Século XX, 2001; • Graça Soares Nunes, Vila Franca de Xira: Economia e Sociedade na Instalação do Liberalismo (1820-1850), 2006; • David Santos, Ateneu Artístico Vilafranquense : Da Monarquia Constitucional à Adesão Europeia, 2008 ; Boletim Cultural: • Nº 1, 1985; (esgotado); • Nº 2, 1986; (esgotado); • Nº 3, 1987/88; (esgotado); • Nº 4, 1989/90; (esgotado); • Cira 5, 1991/92; (esgotado); • Cira 6, 1993/94; • Cira 7, Encontro de Arqueologia. Povos e Senhor da Boa Morte, 1995/1997; • Cira 8, Quintas do Concelho de Vila Franca de Xira, 1998/1999; • Cira 9, 2000/2003; • Cira 10, 2010; • Cira 11, 2013 (on-line); • Cira arqueologia 1, 2012 (on-line); • Cira arqueologia 2, 2013 (on-line); Catálogos de exposições: • Em Memória de Vidal Baptista, 40º Aniversário do Museu Municipal de Vila Franca de Xira, 1991; • Trabalhar a Terra. Mecanização e agricultura em Vila Franca de Xira, 1992 (esgotado); • Festas, Romarias e Arraiais, 1993 (esgotado); • Júlio Goes, 1993; • Histórias do Tejo, 1994 (esgotado); • O Comércio em Vila Franca de Xira, 1995; • O Homem, O Trabalho e a Fábrica - Indústria no Concelho de Vila Franca de Xira, 1996; • 250 Obras de Arte Contemporânea, Coleção da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira (1920-1997); • Vila Franca de Xira. Olhares da Memória, 1998 (esgotado); • Tertúlias e Outros Lugares da Tauromaquia, 1999; • Senhor da Boa Morte. Mitos, História e Devoção, 2000; • Memórias de Pedra e Cal. Vila Franca de Xira, 2001; • Núcleo Museológico de Arte Sacra-Igreja do Mártir Santo S. Sebastião, 2001; • Vila Franca de Xira, Tempos do Rio, Ecos da Terra, 2003 (esgotado); • Álvaro Guerra: Razões de Liberdade, 2004; • Da Resistência à Liberdade em Vila Franca de Xira, 2004; • Fernando Augusto: Vida e Obra, 2005; • Alverca: da Terra às gentes (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2007; • Arte e Devoção. Formas e olhares: Desvelar Património… Velar pelo Património, 2009; • Américo Silva 1970-2012. Design, gravura, fotografia, 2013; • O Campino. Imaginário de uma Identidade: Representações nas artes Visuais Portuguesas, 2013; Outras publicações: • Celso Mangucci, Quinta de Nossa Senhora da Piedade: História do seu Palácio, Jardins e azulejos, 1998; • Mouras Encantadas e Outras Histórias, 1999; • Lendas, Mitos e Histórias de Vila Franca de Xira, 2000; • Saberes e sabores de todas as cores, 2000 (esgotado); • Museus, Mediadores e Educação de Adultos: práticas partilhadas em cinco países, 2001; • Anabela Ferreira, Histórias do Palácio do Sobralinho, edição apoiada pela RPM, 2002; • O Laboratório do Dr. Cotonete, 2008; • Conhecer o Património de Vila Franca de Xira : Perspectivas de Gestão de Bens Culturais (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2008; • Contexto quinhentista das escavações do Museu do Neo-Realismo (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2008; • Desenho (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2008; • Pintura (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2008; • Gravura (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2008; • Escultura (Programa Operacional de Cultura, co-financiado pela UE), 2008; • 80 Anos da fundação do Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, 2012; • Monte dos Castelinhos (Castanheiro do Ribatejo) Vila Franca de Xira e a Conquista Romana do Vale do Tejo, 2013.

Actualizado a 28 março 2014.

informação fornecida pelo museu em fevereiro 2014.

Última actualização: 30 Julho 2014

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC