Saltar para o conteúdo principal da página

Museu José Malhoa

O Museu José Malhoa apresenta o maior núcleo reunido de obras do seu patrono e uma importante coleção de pintura e de escultura dos séculos XIX e XX, revelando-se a quem o visita como o museu do Naturalismo Português. Completam as coleções de pintura, uma secção de Cerâmica das Caldas - articulada em torno da importância de que se revestiu a atuação de Rafael Bordalo Pinheiro para a faiança local e do conjunto único das 60 esculturas de terracota da “Paixão de Cristo” - o núcleo de Escultura ao Ar Livre e uma Biblioteca de Arte.

A 17 de junho de 1933, por despacho ministerial pronunciado sobre “Parecer favorável” do Conselho Superior de Belas Artes, é criado o “Museu José Malhoa”, embora esta concordância ressalve qualquer encargo para o Estado.

O falecimento de Malhoa ocorre em 26 de outubro desse ano e o Museu será solenemente inaugurado, em instalação provisória, a 28 de abril de 1934, dia do aniversário do artista. São fundadores da instituição, a par com António Montês, Joaquim Agostinho Fernandes, José Filipe Rodrigues e o pintor caldense José de Sousa.

O Museu fica instalado na “Casa dos Barcos”, no Parque D. Carlos I, cedida e beneficiada pelo Hospital Termal e abre anualmente ao público de 28 de abril a 26 de outubro. À data da inauguração, é apresentado o anteprojeto para edifício próprio, desenhado pelo Arq. Paulino Montês e é lançada a primeira pedra em terreno do Parque concedido pelo Hospital Termal.

A 11 de agosto de 1940, o edifício é inaugurado no âmbito dos festejos provinciais dos Centenários da Fundação e da Restauração de Portugal, sendo entregue com toda a coleção à Junta de Província da Estremadura, instância que promoveu a obra e que passará a tutelar o então denominado Museu Provincial de José Malhoa.

Assim se ergue em Portugal o primeiro edifício projetado para fins museológicos, que veio a ser contemplado com importantes ampliações e remodelações, sendo a última realizada entre setembro de 2006 e dezembro de 2008, da autoria dos Arq. João Daniel e João Santa-Rita. A reabertura do edifício, a 19 de dezembro de 2008, coincidiu com uma nova apresentação das coleções e uma significativa melhoria das condições de acolhimento dos visitantes.

Conteúdos editados pela DGPC/DMCC

Contactos e
Localização

Tutela:
Direção Regional de Cultura do Centro
Director(a):
Carlos Coutinho
Endereço:
Parque D. Carlos I – 2500-109 Caldas da Rainha
GPS:
Lat: 39,40067685978906 Long: -9,133933747468518
Telf(s):
+ 351 262 831 984
Fax(s):
+ 351 262 843 420
E-mail:
mjosemalhoa@drcc.gov.pt
Site:
http://www.culturacentro.pt/museu-jose-malhoa/

Como chegar: Carro: Via A8
Comboios: CP
Autocarros urbanos: Rede Expresso , Rodoviária do Tejo

Estacionamento: Parque de estacionamento gratuito, junto ao Parque D. Carlos I.

Acessibilidade: Acessibilidade total a portadores de mobilidade reduzida, com instalações sanitárias adaptadas Roteiro em Braille Audioguias em Português e Inglês

De 1 de Maio a 30 de setembro:

Terça-feira a Sábado, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18:00

Domingos e Feriados das 10h00 às 14h00 e das 15h00 às 18h00

De 1 de Outubro a 30 de Abril:

Terça-feira a Sábado, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 Domingos e Feriados das 10h00 às 14h00 e das 15h00 às 17h30 Encerra: Segunda-feira, dia 01 de janeiro, dia de Páscoa, dia 01 de maio, 15 de maio e 25 de dezembro.

Ingresso

Bilhete geral: 3,00€

Isenções:


•Domingos e feriados até às 12h30 para todos os cidadãos residentes em território nacional, não inibindo a possibilidade da aquisição de um Bilhete Especial ('Bilhete Doação'), para os casos em que os visitantes queiram fazer uma doação de qualquer valor;


•Crianças até aos 12 anos, inclusive *


•Visitantes em situação de desemprego residentes na União Europeia *


•Investigadores/conservadores/restauradores, profissionais de museologia e/ou património em exercício de funções *


•Membros do ICOM, ICOMOS e APOM *


•Jornalistas em exercício de funções, mediante comunicação prévia *


•Professores e alunos de qualquer grau de ensino, incluindo Universidades Sénior ou de 3ª Idade, quando comprovadamente em visita de estudo e mediante marcação prévia confirmada pela Direção do Palácio, Museu ou Monumento *


•Amigos do Museu *


•Acompanhantes de visitas de grupo (1 por cada grupo de 15, no máximo)


•Visitantes com mobilidade reduzida e acompanhantes


•Profissionais registados no RNAAT - Registo Nacional das Atividades de Animação Turística e em exercícios de funções*

Descontos:


•Visitantes com idade igual ou superior a 65 anos - 50% *


•Cartão de Estudante - 50% *


•Cartão Jovem - 50% *


•Família Numerosa (2 adultos + filhos) - 50% **


•Bilhete Família (a partir de 4 elementos com ascendência e descendência em linha reta, ou equivalente, comprovado legalmente) - 50% *


•* Requer comprovação documental


•** Requer comprovação documental emitida pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Loja

Biblioteca de Arte

Exposição permanente

Exposições temporárias

Serviço Educativo

 

Atividades: Visitas guiadas a grupos escolares e não escolares, com marcação prévia; Ateliers diversos; Oficinas pedagógicas.

. Conceição Colaço e Sónia de Matos - “Vamos Festejar a República no Museu José Malhoa”, Instituto dos Museus e da Conservação – Museu José Malhoa, 2010. - Matilde Tomaz do Couto, Luís Nuno Rodrigues, Anabela Henriques Rosa, Isabel Xavier - “O Museu José Malhoa. As Caldas e a República”, Instituto dos Museus e da Conservação – Museu José Malhoa, 2010. - Dóris Joana Santos, Estela Baptista Costa, – “Se eu vestisse a Rainha...”, Instituto dos Museus e da Conservação – Museu José Malhoa, 2007. Esgotado. - Sónia Matos, Dóris Joana Santos - Jogo “O Tesouro Perdido”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2005. - Sónia Matos, Dóris Joana Santos - Jogo “Há um Museu no Parque”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2005. - Matilde Tomaz do Couto, Cristina Azevedo Tavares, e outros – “Malhoa e Bordalo: confluências duma geração”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2005. Esgotado. - Matilde Tomaz do Couto, Dóris Joana Santos, Estela Baptista Costa - “Museu de José Malhoa. Roteiro”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2005. Esgotado. - Matilde Tomaz do Couto, Dóris Joana Santos, Estela Baptista Costa - “Museu de José Malhoa. Guide”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2005. - Conceição Colaço, Dóris Joana Santos, Estela Baptista Costa – “Entramos!? Roteiro Juvenil do Museu José Malhoa”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2004. - Matilde Tomaz do Couto e outros - “Fernando de Azevedo 1923-2002: Exposição de Homenagem”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2004. - Matilde Tomaz do Couto, coord., e artistas intervenientes – “KA TA MA RI Glass. Expo de Escultura em Vidro", Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 2003. - Raquel Henriques da Silva, Matilde Tomás do Couto, Fernando de Azevedo, Cristina Azevedo Tavares - “O Prémio Malhoa”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa – Sociedade Nacional de Belas-Artes, 2000. Esgotado. - Matilde Tomás do Couto - “José de Sousa. Exposição Retrospectiva 1897-1987”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 1999. - Teresa Balté, João Lima Pinharanda, Paulo Henriques - “Hein Semke. Esculturas”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa, 1997. - Paulo Henriques, Maria Helena Coimbra, Luís Nuno Rodrigues, Matilde Tomás do Couto, Conceição Colaço - “António Montês. Museu José Malhoa”, Instituto Português de Museus – Museu de José Malhoa. 1996. Esgotado. - Matilde Tomaz do Couto - “A Arte da Miniatura em Barro. Escultores e Basrristas”, Instituto Português do Património Cultural – Museu de José Malhoa, 1998. - João Saavedra Machado, Matilde Tomaz do Couto - “A Paixão de Cristo na Obra de Rafael Bordalo Pinheiro”, Instituto Português do Património Cultural – Museu de José Malhoa, 1985. Esgotado. - António Montês – “Malhoa Íntimo”, Museu de José Malhoa, 1983.

Atualizado em_18 de junho de 2014, informação fornecida pelo museu em 14 de Março de 2013

Atualizado em 26 de junho de 2018, informação baseada no site da DRCC

Agenda Cultural

Última actualização: 30 Outubro 2018

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 151 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC