Saltar para o conteúdo principal da página

Museu da Cidade

O Museu da Cidade é museu polinucleado constituído pelo Museu Romântico, a Casa do Infante/Torre Nova, o Museu do Vinho do Porto, o Gabinete de Numismática e o Arqueosítio da Rua de Dom Hugo.

Núcleos:

O Museu Romântico pretende documentar e interpretar uma época importante na história da cidade do século XIX, uma época em que a cidade do Porto toma características muito próprias e na qual surgiram vultos com grande projeção em várias áreas: cultural, política e económica. Aqui passou os seus últimos dias, exilado, Carlos Alberto, Rei da Sardenha e Príncipe de Piemonte, que veio a falecer a 28 de Julho de 1849. Com base em documentação gráfica da época da morte do Rei, foi possível reconstituir dois compartimentos dos que habitou nos poucos meses que aqui viveu antes de morrer, nomeadamente o quarto de dormir e a capela.

O acervo do Museu Romântico da Quinta da Macieirinha é constituido por coleções de mobiliário, pintura, texteis e artes decorativas caracteristicos do século XIX, possibilitando reconstituições de ambientes que documentam a vida de um a casa burguesa no Porto da época romântica.

A Casa do Infante é um espaço que consagra a musealização de uma parcela significativa da Casa do Infante, no âmbito das vastas campanhas de escavações arqueológicas que ali se intensificaram na década de 90, integradas no projeto geral de renovação e ampliação da Casa do Infante/Arquivo Histórico. Este projeto de reabilitação foi entregue ao arquiteto Nuno Tasso de Sousa.

Este núcleo apresenta ruínas musealizadas in-situ, sendo que a exposição dos objectos e das próprias ruínas se situa próxima do conceito de "arqueo-sítio". O acervo reporta-se aos períodos medieval e moderno, épocas em que funcionaram neste espaço a Casa da Moeda e a Alfandega do Porto.

O Museu do Vinho do Porto está instalado no antigo armazém do Cais Novo. Dadas as características arquitetónicas e históricas do edifício, este é, sem dúvida, um local carregado de marcas da passagem dos anos e das gentes, relativamente ao comércio do Vinho do Porto, do século XVII à atualidade. A construção do armazém no Cais Novo, em finais do século XVIII e de iniciativa particular, teve como objetivo a armazenagem de vinhos. No início do século XIX foi armazém da Alfândega do Porto.

Trata-se de um núcleo dedicado à importância que o vinho do Porto teve e tem no desenvolvimento histórico da cidade e sua caracterização física e social. A sua organização tem por base uma investigação que se traduz, em termos de exposição permanente, num conjunto de painéis de caracter informativo e em postos multimédia dispersos pelo circuito expositivo. Paralelamente, o museu apresenta uma seleção de objectos - arqueológicos, de artes decorativas, pintura, etc - que se encontram em regime de depósito.

Gabinete de Numismática. Esta coleção iniciou-se em 1850 com a aquisição da coleção particular de João Allen, um rico comerciante da cidade. O município adquiriu esta coleção para a constituição do Museu Municipal do Porto, inaugurado em 1852, na rua da Restauração. No ano de 1937 foi iniciado o processo de inventariação das coleções para posterior transferência para o Palácio dos Carrancas, onde foi inaugurado o Museu Nacional Soares dos Reis, em 1942. Ali permaneceu até à sua transferência para as instalações atuais, na Casa Tait, inauguradas em Dezembro de 1988. 

As coleções são constituidas por moedas, medalhas nacionais e estrangeiras, condecorações e notas bancárias. As coleções de numismática integram moedas portuguesas e estrangeiras de diferentes épocas, tais como gregas, romanas, hispânicas, suevas, visigodas e árabes.

Arqueo-sítio da Rua de Dom Hugo. Situado numa das mais antigas artérias do velho burgo medieval, conserva-se a mais longa sequência de vestígios da ocupação humana da cidade do Porto. As escavações arqueológicas permitiram observar, numa espessura de mais de três metros de profundidade, vinte camadas arqueológicas integrando ruínas arquitetónicas e objetos desde os sécs. IV-III a.C. até aos tempos atuais.

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Câmara Municipal do Porto
Director(a):
Paula Silva (Chefe Divisão Museus e Pat. Cultural); Ana Bárbara Barros (Coord. Museu Romântico)
Endereço:
Casa Tait, Rua de Entre-Quintas, 220, 4050-239 Porto
GPS:
Lat: 41,1477428 Long: -8,628309800000011
Telf(s):
+351 226 057 00; 226 057 32
Fax(s):
+351 226 057 001
E-mail:
dmpc@cm-porto.pt

Estacionamento: Museu Romântico: Parque do Vilar; área de estacionamento do Museu Romântico da Quinta da Macieirinha Casa do Infante: Parque do Infante e Parque da Alfândega Museu do Vinho do Porto: Parque da Alfândega Gabinete de Numismática: Parque da Praça de Carlos Alberto. Arqueo-sítio da Rua de Dom Hugo: Parque Duque de Loulé e Parque das Camélias

Acessibilidade: Museu Romântico: Acesso a cadeira de rodas Casa do Infante: Acesso a cadeira de rodas Museu do Vinho do Porto: Acesso a cadeira de rodas, Painéis em Braille

Museu Romântico: Segunda a sábado das 10h00 às 17h30. Domingo das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerrado aos feriados.

Museu do Vinho do Porto: Terça a domingo das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerrado à segunda-feira e feriados

Gabinete de Numismática: segunda a sexta das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerrado aos fins-de-semana e feriados.

Arqueo-sítio da Rua de Dom Hugo: Terça a domingo das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Encerrado à segunda-feira e feriados.

Ingresso

Museu Romântico e Casa do Infante: Bilhete Normal: 2,00€ Museu do Vinho do Porto: Bilhete Normal: 2,00€

Isenções:

Gabinete de Numismática e Arqueo-sítio D. Hugo: Entrada gratuita

Estudantes, professores, pessoas com deficiências, pessoas com mais de 65 anos, reformados, portadores de Cartão Jovem e Passe Porto, membros do ICOM, da APOM.
Sábados e Domingos.

Descontos:

Museu do Vinho do Porto: 50% de desconto a portadores do Cartão Jovem

 

 

• Museu Romântico da Quinta da Macieirinha. Porto: C.M.P., 1996 [Guia do Museu, disponível em português - ESGOTADO, francês e inglês] • Colecção de postais [Museu Romântico]. Porto: C.M.P. • Imagens da Moda no Século XIX [col. de gravuras antigas - Museu Romântico]. Porto: C.M.P. • DIAS, Ana Cristina Guimarães (Coord.) – A Nostalgia de uma Cidade: Medalhas sobre o Palácio de Cristal na colecção do Gabinete de Numismática (Catálogo de Exposição). Porto: Câmara Municipal do Porto, [1989]. • Colecção de Postais: A banca do Porto nos finais do século XIX. Porto: Câmara Municipal do Porto, [1989]. - ESGOTADO • A Cor do Dinheiro: Notas bancárias ligadas à Banca Portuense dos fins do século passado na colecção do Gabinete de Numismática (Catálogo de Exposição). Porto: Câmara Municipal do Porto, [1989]. • Moedas Portuguesas cunhadas no Porto: na colecção do Gabinete de Numismática (Catálogo de Exposição). Porto: Câmara Municipal do Porto, 1989. • PEREIRA, Isabel Sousa e TEIXEIRA, Filipe – Catálogo de Moedas da Monarquia Portuguesa (1185 a 1640). Porto: Câmara Municipal do Porto, [2002].

Actualizado 24 abril 2014.

só recebemos informação mt reduzida do museu romantico em 9 abril de 2014 (4 fotografias), a restante informação foi baseada no site IMC e no roteiro editado do museus da RPM.

Última actualização: 14 Agosto 2014

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC