Saltar para o conteúdo principal da página

Museu da Carris

Integrado numa empresa de transportes públicos, o acervo do Museu da Carris identifica-se com os aspetos fundamentais da história dos transportes públicos na cidade de Lisboa, desde finais do 3.º quartel do século XIX até à atualidade. Deste modo, as suas coleções abarcam uma grande diversidade de objetos e documentos que testemunham o desenvolvimento dos transportes públicos coletivos, na sua evolução e no contributo prestado à cidade de Lisboa pela Carris. Na sua coleção encontram-se veículos representativos da evolução dos transportes, bem como diversos artefactos que complementam a informação histórica da empresa. O seu acervo está agrupado em duas áreas distintas: uma área documental e uma área de objetos. Na área documental estão incluídas coleções de plantas e desenhos técnicos, fotografias, títulos de transporte e variada documentação avulsa. Quanto à área dos objetos, fazem parte coleções de uniformes, equipamentos administrativos e oficinais e viaturas de transporte de passageiros (tração animal, elétricos e autocarros).

A história do Museu da Carris está intimamente ligada à própria história da Companhia Carris de Ferro de Lisboa, que foi fundada em 1872, tendo esta sido a responsável pela introdução, em 1873, do chamado “sistema americano” (carruagens de tração animal deslocando-se sobre carris, dos carros elétricos (1901 e dos autocarros em 1944. Todo o património acumulado e a própria experiência da empresa, conduziram a que na década de 80 do século XX, fosse constituída uma Comissão Organizadora para a criação de um Museu. Esta Comissão procedeu ao levantamento, inventariação e recuperação do património que iria fazer parte do acervo do futuro Museu. Este projeto mereceu, em 1994, o reconhecimento de “manifesto interesse cultural”. Em 1995, o atual Diretor foi encarregue de coordenar todas as ações necessárias para que fossem iniciadas as obras de recuperação das futuras instalações que iriam albergar o Museu da Carris. O Museu foi inaugurado em 1999 pelo então Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio.

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC

Contactos e
Localização

Tutela:
Companhia Carris de Ferro de Lisboa, S.A.
Director(a):
Luís Vale
Endereço:
R. 1º de Maio 101-103, 1300-472 Lisboa
GPS:
Lat: 38,702319 Long: -9,18050100000005
Telf(s):
+ 351 213 613 087
E-mail:
museu@carris.pt
Site:
http://museu.carris.pt/

Autocarros urbanos: Eléctrico 15E; Autocarros 56, 714, 732, 742 e 751

De segunda-feira a sábado das 10h00 às 17h00.

Aos sábados encerra das 13h00 às 14h00.

Encerrado aos domingos e feriados.

Ingresso

BILHETE INDIVIDUAL

Bilhete individual – 4,00€ 

Bilhete (jovens dos 6 aos 18 anos e adultos acima dos 65 anos) – 2,00€

Bilhete gratuito (crianças até 6 anos)

Bilhete desempregado – 2,00€

BILHETE GRUPOS ESCOLARES (15 a 25 crianças)

Visita livre (idade entre os 6 e os 18 anos) – 1,50€ por criança

Visita orientada (idade entre os 4 e 18 anos) – 3,00€ por criança

Visita orientada com jogo (idade inferior a 14 anos) – 3,50€ por pessoa

Visita orientada com jogo e oficina (idade superior a 4 anos) – 5,00€ por criança

GRUPOS (15 a 25 pessoas):

Visita livre (idade entre 18 e 65 anos) – 2,00€ por pessoa

Visita livre (+ 65 anos) – 1,50€ por pessoa

Visita orientada (idade entre 18 e 65 anos) – 3,50€ por pessoa

Visita orientada com Oficina (+65 anos) – 5,00€ por pessoa

 

LISBOA QUEM ÉS TU?

Bilhete Individual Espetáculo Multimédia – 5,00€ por pessoa

Bilhete Individual Espetáculo Multimédia + Museu – 7,50€ por pessoa

Exposições temporárias - Galeria do Museu e Antiga Carpintaria

Espaços para eventos

Atividades:

Visitas orientadas para grupos de todas as idades

Visitas-jogo para crianças dos 4 aos 12 anos

Visitas orientadas com jogo e atelier pedagógico para crianças dos 4 aos 12 anos.

Responsável: Miguel Melo e Sousa

Catálogo da Exposição “Os amarelos da Carris na Imprensa Europeia/2005; História da Companhia Carris de Ferro de Lisboa em Portugal, 3 volumes/2007/2008.

Última actualização: 14 Agosto 2014

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC