Saltar para o conteúdo principal da página

Museu da Água

O acervo do Museu da Água é constituído por um conjunto de peças provenientes do serviço do abastecimento de água – ferramentas, canalizações, contadores, aparelhos, instrumentos vários – que documentam a atividade da Empresa Portuguesa das Águas Livres, e a que se juntaram fotografias e documentos. Na coleção destacam-se as máquinas a vapor e as bombas que estão na Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, o seu Núcleo-Sede. Integram também a coleção objetos de pintura, escultura, fotografia e tapeçaria.

Em 1920 foi criado o primeiro serviço destinado aos “trabalhos de desenho, arquivo, biblioteca e museu” na Companhia das Águas de Lisboa, no qual deveriam ser apresentados diversos tipos de bens relacionados com o abastecimento de água tais como canalizações, contadores e outros objetos. A Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos sofreu uma adaptação decorrente da sua descativação e foi destinada à instalação de serviços e do acervo já existente, tendo sido possível preservar as bombas e as máquinas a vapor.

O Museu da Água inaugurou em 1987 com sede no núcleo instalado na Estação dos Barbadinhos, onde atualmente se mantém, e com dois outros núcleos: o Aqueduto das Águas Livres e a Mãe D’Água das Amoreiras. O Reservatório da Patriarcal tornou-se o seu terceiro núcleo desde 1994.

Núcleos

- Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos (Núcleo-sede) 

Este núcleo estará encerrado em 2014 para obras de remodelação.

Inaugurada em 1880, a Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos destinava-se a fazer a elevação das águas provenientes do rio Alviela, através de quatro máquinas a vapor (sistema Wolf), as quais estiveram em funcionamento até 1928. Pelo seu excelente estado de preservação e como símbolo da arqueologia industrial em Portugal é merecedora de uma visita.

- Aqueduto das Águas Livres

*Este núcleo abre de 1 de Março a 30 de Novembro

O Aqueduto das Águas Livres mandado construir, em 1731, pelo Rei D. João V, foi o primeiro sistema de abastecimento regular à cidade de Lisboa. Mede em toda a sua extensão 58 km. A travessia do vale de Alcântara é constituída por 35 arcos monumentais, numa extensão de 941 metros, tendo o maior arco em pedra a altura de 65 metros e de largura 32m. Retirado do sistema de abastecimento em 1967, o Aqueduto é não só um dos “ex-libris" de Lisboa, mas também uma das mais notáveis obras de sempre da engenharia hidráulica.

- Reservatório da Mãe d´Água das Amoreiras

Projectado em 1746 por Carlos Mardel e terminado em 1834, o reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras serviu para recolher e distribuir a água aduzida pelo Aqueduto das Águas Livres. Com a capacidade de 5.500 m3, tem 7,5 metros de profundidade. Na cobertura do monumento existe um terraço com uma vista deslumbrante de Lisboa.

- Reservatório da Patriarcal

O Reservatório da Patriarcal, construído entre 1860 e 1864, tornou-se o mais importante na rede de distribuição de água na zona baixa da cidade. Abastecido pelo Aqueduto das Águas Livres, foi desactivado em 1949. Actualmente, dá acesso à galeria subterrânea da Galeria do Loreto, com uma extensão de 410m, ligando-o ao Jardim de São Pedro de Alcântara.  

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC

Contactos e
Localização

Tutela:
EPAL, S.A. – Empresa Portuguesa das Águas Livres
Director(a):
Pedro Inácio
Endereço:
Rua do Alviela, 12 - 1170-012 Lisboa
GPS:
Lat: 38,71919639719101 Long: -9,119657236245757
Telf(s):
+ 351 218 100 215
Fax(s):
+ 351 218 100 202
E-mail:
museu@epal.pt

Autocarros urbanos: 735, 794, 712, 782 (Sta. Apolónia)

De terça-feira a Sábado das 10h00 às 17h30.

Todos os núcleos estão encerrados ao público ao Domingo e feriados

O Aqueduto encerra entre 30 de Novembro e 1 de Março 

Ingresso

Bilhete Normal: 2€

Bilhete para os 4 Núcleos: 6€

Isenções:

Gratuito para crianças até 12 anos e Professores.

Descontos:

Portadores de Cartão Jovem, Lisboa Card, professores, e pessoas com mais de 65 anos - 1€

Acolhimento

Recepção e Loja

Exposição permanente

História do Abastecimento de Água 

Centro de Documentação / Biblioteca - Especialização: Abastecimento de Água 

Auditório:   20 lugares/ Vídeo e projector de slides, e retroprojector

Serviços Educativos

Visitas guiadas mediante marcação.

http://www.servicoaguaslivres.com/

História: • Histórias e Outras Memórias do Aqueduto (Carlos Caseiro e Raúl Vital) ESGOTADO• Mais de mil anos se passaram (Carlos Caseiro) ESGOTADO• Aquedutos de Portugal (Pedro Inácio)• Galerias Subterrâneas e Chafarizes monumentais de Lisboa abastecidos pelo Aqueduto das Águas Livres (Bárbara Bruno e Pedro Inácio)• O Projecto de Louis-Charles Mary para distribuição de água na cidade de Lisboa, 1856 (Paulo Oliveira Ramos)• Iconografia Histórico Vol. 1 e 2 (Paulo Oliveira Ramos)• 140 Anos, 140 Imagens (Luís Pavão e Paulo Oliveira Ramos)• Estação dos Barbadinhos: Do Vapor ao Museu (no prelo)

Pintura: • Catálogos de todas as exposições do Museu • 5 e 10 anos de pintura • Carlos Dugos • Raquel Oliveira • Branislav Mihajlovic• Angel Orensanz• Isabel Nunes• Luís Macieira• Eduardo Nery

Edições Pedagógicas: • Guia de preparação de visita para professores: roteiro 25 Anos• Guias de acompanhamento de visita para os alunos • O Mundo é a nossa casa• O Mundo Maravilhoso da Água• Água para Todos • Água é Património.

Atualizado em 18 de junho de 2014, informação formencida pelo museu em 31 de Janeiro de 2014

Última actualização: 14 Agosto 2014

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC