Saltar para o conteúdo principal da página

Museu Calouste Gulbenkian

A coleção do Museu Calouste Gulbenkian cobre um largo período da história da arte, abrangendo uma vastíssima área geográfica: Arte Egípcia, Arte Greco-Romana, Arte da Mesopotâmia, Arte do Oriente Islâmico, da Arménia, do Extremo Oriente, Pintura Europeia, Escultura Europeia, Artes Decorativas Europeias, Arte do Livro Europeu e Obras de René Lalique.

Calouste Sarkis Gulbenkian (1869-1955) nasceu em Üsküdar (Istambul) numa família de origem arménia. Magnata do petróleo e colecionador de grande intuição e conhecimento, fixou-se em Lisboa, em 1942. Segundo a vontade manifestada, as obras de arte adquiridas por si em vida e legadas à Fundação criada por vontade testamentária, deveriam ser reunidas sob o mesmo teto. Tal desejo foi concretizado em 1969.

A Coleção cobre um largo período da História da Arte abrangendo uma vastíssima área geográfica.

O percurso do Museu acompanha, nas primeiras salas, a Arte Egípcia, pequeno conjunto de obras de grande diversidade e qualidade excecional, a Arte Greco-Romana, com particular destaque para a coleção de moedas gregas, a Arte do Oriente Islâmico – Pérsia, Turquia, Síria, Cáucaso e Índia –, do século XII ao século XVIII, através de uma seleção de tapetes, tecidos, iluminuras, encadernações, lâmpadas de mesquita, azulejos e cerâmicas, nomeadamente de Iznik.

Ao breve mas significativo núcleo dedicado à Arte Arménia, segue-se um importante conjunto de Arte do Extremo-Oriente, que inclui porcelanas e pedras duras da China e lacas do Japão.

O itinerário pela Arte Europeia inicia-se com o conjunto de marfins e iluminuras medievais. Presentes, ao longo de toda a visita, estão a escultura, da Idade Média até ao século XIX, e a pintura, dos séculos XV a XIX, com importantes núcleos que integram obras de Rogier van der Weyden, Ghirlandaio, Rembrandt, Rubens, Fragonard, Gainsborough, Turner, Manet, Renoir e Degas entre muitos outros, apresentando uma área dedicada, em exclusivo, ao pintor veneziano Francesco Guardi. Nas artes decorativas, os núcleos de Mobiliário e de Ourivesaria são dos mais destacados do Museu, com peças provenientes de coleções reais europeias.

Joias e vidros de René Lalique (1860-1945), de quem Calouste Gulbenkian foi admirador incondicional, encontram-se expostos em sala própria.

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC

Contactos e
Localização

Tutela:
Fundação Calouste Gulbenkian
Director(a):
(interino) Maria Rosa Figueiredo
Endereço:
Avenida de Berna, 45 A 1067-001 Lisboa
GPS:
Lat: 38,73789957590135 Long: -9,154322718750109
Telf(s):
+ 351 217 823 000
Fax(s):
+ 351 217 823 032
E-mail:
museu@gulbenkian.pt
Site:
http://museu.gulbenkian.pt/Museu/pt/

Autocarros urbanos: 16, 726, 56, 718, 742
Metro: Estações de S. Sebastião ou Praça de Espanha

Estacionamento: Parques de Estacionamento (pagos): Avenida de Berna e Avenida Visconde de Valbom.

Acessibilidade: Elevador, rampas e instalações sanitárias disponíveis para visitantes com necessidades especiais.

Terça-feira a domingo das 10h00 às 17h45.

Encerrado ao público à segunda-feira e nos feriados de 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro. 

Acolhimento

Cafetaria/Self-Service

Centro de Documentação / Biblioteca -Especialização: Livros de Arte

Loja 

Cafetaria

Bengaleiro 

Exposição permanente

Serviço Educativo 

 

Atividades: Visitas orientadas, Oficinas, Cursos e outras  mediante marcação prévia.

Tel.: + 351 217 823 457 / E-mail: http://www.descobrir.gulbenkian.pt/

• Arte do Oriente Islâmico. Colecção da Fundação Calouste Gulbenkian, catálogo de exposição, Lisboa (Fundação Calouste Gulbenkian) 1963 • A Arte do Retrato. Quotidiano e Circunstância – catálogo de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 1999 • Calouste Sarkis Gulbenkian. Uma doação ao Museu Nacional de Arte Antiga - catálogo de exposição, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1994 • Chefs d’oeuvre du Musée Gulbenkian. Meubles et objets royaux du XVIIIe siècle français – catálogo de exposição, (Palácio de Versailles) 2000, ed. Réunion des musées nationaux e Fundação Calouste Gulbenkian • COSTA, Maria Helena Soares; SAMPAIO, Maria Luísa – Pintura. Museu Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1998 • COUTINHO, Maria Isabel Pereira – O Mobiliário Francês do Século XVIII, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1999 • COUTINHO, Maria Isabel Pereira – Uma obra em foco. A mobília de quatro do actor Talma, folheto de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 1999 • Do Bisturi ao Laser. Oficina de Restauro - catálogo de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 1995 • ETTINGHAUSEN, Richard - Arte da Pérsia Islâmica na Colecção Calouste Gulbenkian, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1972 • FERREIRA, Maria Teresa Gomes - Lalique: Jóias, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1997 • FIGUEIREDO, Maria Rosa – Escultura Europeia, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1999 • FIGUEIREDO, Maria Rosa – Escultura Francesa, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1992 • GOFFEn, Rona – O Museu Calouste Gulbenkian. Lisboa, (Museums Discovered), New York, 1995 • Gravuras da Colecção Calouste Gulbenkian – catálogo de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 1987 • HIPÓLITO, Mário C. – Moedas Gregas Antigas. Ouro, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1996 • A Imagem do Tempo. Livros Manuscritos Ocidentais – catálogo de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 2000 • Islamic Art in the Calouste Gulbenkian Collection, catálogo da exposição, (Abu Dhabi Cultural Foundation, Abu Dhabi), Lisbon, Calouste Gulbenkian Museum, 2004 (edições em inglês e árabe) • JENKINS, G.K.; HIPÓLITO, M. Castro – A Catalogue of the Calouste Gulbenkian Collection of Greek Coins, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1989 • LEITE, Maria Fernanda Passos - Obra de Arte em Foco. Um Tapete da Índia Mogol da Colecção Calouste Gulbenkian, folheto de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 1997 • LEITE, Maria Fernanda Passos; RIBEIRO, Maria Queiroz - Un jardín encantado. Arte islámico en la Colección Calouste Gulbenkian, catálogo de exposição, Madrid, (Fundación Santander Central Hispano) 2001 • Le Livre. Objet d’art. Collection Calouste Gulbenkian. France. XIX-XX Siècles – catálogo de exposição, Paris (Centre Culturel Calouste Gulbenkian), 1997 • MARROW, James H. – As Horas de Margarida de Cleves/The Hours of Margaret of Cleves, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1995 • Matos, Maria Antónia Pinto de, Porcelana Chinesa na Colecção Calouste Gulbenkian / Chinese Porcelain in the Calouste Gulbenkian Collection, Museu Calouste Gulbenkian, 2003 • MOTA, M. Manuela Marques - Louças Seljúcidas, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1998 • MURARO, Michelangelo – Os Guardi da Colecção C. Gulbenkian, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1993 • “Only the Best”. Masterpieces of the Calouste Gulbenkian Museum, Lisbon - catálogo de exposição, New York (The Metropolitan Museum of Art) 1999 • Museu Calouste Gulbenkian, Álbum, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 2001 (edições em português, francês, inglês e espanhol) • O Mar e a Luz. Aguarelas de Turner na Colecção da Tate, catálogo da exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian), 2003 (edição bilingue) • René Lalique – bijoux, verres - catálogo de exposição, Paris (Musée des Arts Décoratifs), 1991 • RIBEIRO, Maria Queiroz e HALLETT, Jessica - Os vidros da dinastia Mameluca no Museu Calouste Gulbenkian/Mamluk Glass in the Calouste Gulbenkian Museum, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1999 • RIBEIRO, Maria Queiroz - Louças Iznik/Iznik Pottery, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1996 • Tapetes Orientais. Colecção Calouste Gulbenkian - (Álbum) XXX Aniversário da Morte de Calouste Gulbenkian, Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian, 1985 • Tecidos da Colecção Calouste Gulbenkian - catálogo de exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian) 1978 • VERLET, Pierre - Arte Francesa do Século XVIII da Colecção Calouste Gulbenkian, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1971 • Uma Tradição Secular. Bordados do Império Otomano à Índia, Séc. XVIII-XIX, Colecção Calouste Gulbenkian, catálogo da exposição, Lisboa (Museu Calouste Gulbenkian), 2003 (edição bilingue).

TM 17junho14 - informação = site IMC pq museu não respondeu ao pedido de atualização - optei por retirar informação dos ingressos pq estava certamente mt desatualizada: quando houver tempo, depois de insistir com museu e se não responder, procurar na net informação atual

Última actualização: 17 Abril 2017

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC