Saltar para o conteúdo principal da página

Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães

O Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães encontra-se instalado no edifício inicialmente conhecido por “Torre de S. Sebastião” mandado construir em 1900 por Jorge O’Neill segundo projeto do pintor Francisco Vilaça. Em 1910 o edifício foi adquirido pelos Condes de Castro Guimarães que, em 1924, legaram em testamento ao povo de Cascais a “Torre de S. Sebastião”, os objetos de arte e livros, para nela se instalar um Museu Municipal e Biblioteca Pública para usufruto da população. O Museu abriu oficialmente ao público em 1931 e do núcleo bibliográfico destaca-se a Crónica de Dom Afonso Henriques, de Duarte Galvão, obra do século XVI com iluminuras atribuídas a António de Holanda.

O edifício da antiga “Torre de S. Sebastião” insere-se na designada arquitetura de veraneio, de acentuado ecletismo, que combina chaminés a recordar as dos palácios medievais, torres fortificadas, janelas ogivais, “arcadas manuelinas”, cúpulas de feição bizantina, varandas italianas e os nossos tão característicos alpendres minhotos. Esta combinação, de formas e estilos, recorre a elementos decorativos neogóticos e neoárabes, próprios do revivalismo Oitocentista de marcado gosto romântico. O edifício está enquadrado pelo Parque Marechal e pela Capela de S. Sebastião que faz parte integrante do património edificado do Museu.

O acervo do Museu-Biblioteca é essencialmente constituído por pintura portuguesa e estrangeira dos séculos XVII a inícios do século XX, escultura portuguesa e francesa do século XVIII ao século XIX, mobiliário nacional e estrangeiro dos séculos XVII ao século XIX e um conjunto de móveis indo-portugueses do século XVII e peças lacadas chinesas do século XVIII/XIX.

Destaca-se igualmente o importante núcleo de ourivesaria com punções portuguesas, brasileiras e francesas dos séculos XVII ao XIX, porcelanas orientais, com várias peças armoriadas e ainda núcleos de têxteis, leques, vidros e cristais, de armaria, de peças egípcias, epigrafia, arqueologia, entre outros conjuntos de “objetos de vitrina”. Merece ainda referência o núcleo bibliográfico constituído por cerca de 2.830 volumes, incluindo iluminuras do século XVI.

Conteúdos editados pela DGPC/DMCC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Câmara Municipal de Cascais
Director(a):
José António Proença
Endereço:
Av. Rei Humberto II de Itália, Parque Marechal Carmona, 2750-319 Cascais
GPS:
Lat: 38,69203225084564 Long: -9,42130744708254
Telf(s):
+ 351 21 481 53 04/8/12
E-mail:
mccg@cm-cascais.pt
Site:
http://www.cm-cascais.pt/mccg/

Como chegar: Percurso - do Centro de Cascais (baía) à Guia
Comboios: Linha urbana de Lisboa - Cascais
Autocarros urbanos: Autocarro BusCas

Estacionamento: Parque de estacionamento da Marina de Cascais (frente ao Museu).

Acessibilidade: O piso térreo está acessível a todos os públicos. Por se tratar de um edifício histórico com escadas estreitas de caracol, os pisos 1 e 2 não estão acessíveis a visitantes de mobilidade reduzida.

Terça a sexta-feira das 10h00 às 17h00. Sábado e domingo das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00. 

Encerra à segunda-feira e feriados.

Ingresso

Gratuito

Loja

Centro de documentação / biblioteca - Área(s) de especialização temática: Biblioteca histórica do Conde de Castro Guimarães; História, História da Arte e Artes Decorativas; Genealogia.

 Responsável: Maria Cristina Gonçalves; Tel.: + 351 214 815 923

Serviço Educativo

 Responsável: Ana Isabel Brás; Tel: + 351 214 815 304

 Atividades:

- Visitas orientadas temáticas e/ou de índole geral;

- Ateliers, concertos e recitais;

- Conferências, palestras, cursos e representações teatrais.

- “Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; - “A colecção de Ourivesaria do Museu Condes de Castro Guimarães” da autoria de Leonor d’Orey. - ”A colecção de Mobiliário do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães” da autoria de José António Proença; - Catálogo da exposição: ”Cascais de Carlos Bonvalot”.

- "Counts of Castro Guimarães Museum-Library, Guide"

Actualizado em 3 de Junho de 2014, informação fornmecida pelo museu em 2 de Dezembro de 2013

Última actualização: 19 Junho 2018

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC