Saltar para o conteúdo principal da página

Casa-Museu Frederico de Freitas

A Casa-Museu Frederico de Freitas, inaugurada em Junho de 1988 e instalada na Casa da Calçada, mantém a ambiência única daquela que foi a moradia de um dos maiores colecionadores locais, o notário e advogado madeirense Dr. Frederico de Freitas. Ao longo de espaços como os Salões, Quarto de Dormir, Casa de Jantar, Sala do Chá, Biblioteca, Cozinha, evocam-se vivências de outrora e expõem-se as coleções de mobiliário, escultura, pintura, cerâmica, gravura, vidros e metais, reunidas pelo colecionador.

A Casa-Museu Frederico de Freitas encontra-se instalada na Casa da Calçada, antiga moradia dos Condes da Calçada, originária dos finais do século XVII e profundamente remodelada no século XIX. Cerca de 1941 foi arrendada pelo Dr. Frederico de Freitas, prestigiado advogado e notário madeirense, que aí residiu e reuniu importantes coleções de Artes Decorativas, legadas por sua morte, em 1978, à Região Autónoma da Madeira. O edifício foi posteriormente adquirido pelo Governo Regional, reabilitado e adaptado a Casa-Museu, inaugurada em Junho de 1988. 

Em 1999, ficou concluído o programa da Casa-Museu que permitiu a ampliação da exposição permanente da Casa da Calçada e a abertura de novos espaços: A Casa dos Azulejos, construída de raiz para acolher a Exposição de Azulejaria Portuguesa e Estrangeira; o Auditório; as Reservas e Oficina de Azulejos; a Casa da Entrada, onde funcionam a Portaria, o Gabinete de Estampas e Desenhos e os Serviços de Educação.

Na Casa da Calçada, refletindo o ambiente da residência do colecionador, expõem-se as Coleções de Mobiliário, Escultura, Pintura, Cerâmica e Gravura. O mobiliário, nacional e estrangeiro, data dos séculos XVII ao XIX. A temática religiosa domina a escultura e a pintura e, salvo alguma imaginária luso-oriental, as peças são predominantemente europeias. Singular, a Coleção de Canecas envolve outras tipologias afins que, do século XVIII ao presente, atestam proveniências diversas. Nas gravuras, destacam-se as relativas à Madeira, importantes fontes iconográficas dos séculos XVIII e XIX. Na Casa dos Azulejos surgem peças orientais, islâmicas, medievais, majólica e uma mostra de azulejaria holandesa. O núcleo português que inclui um importante conjunto de padronagem seiscentista, evoca a produção nacional até à atualidade.

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Sec. Reg. da Cultura, Turismo e Transportes - Direção Regional dos Assuntos Culturais da Madeira
Director(a):
Ana Margarida Araújo Camacho
Endereço:
Calçada de Santa Clara, 7, 9000-036 Funchal
GPS:
Lat: 32,6499357 Long: -16,91230930000006
Telf(s):
+351 291 202 570 / 291 202 571 / 291 202 572
Fax(s):
+ 351 291 202 580
E-mail:
cmffreitas.drac.srt@gov-madeira.pt
Site:
http://cultura.madeira-edu.pt/museus/Museus/CasaMuseuFredericodeFreitas/tabid/188/language/pt-PT/Default.aspx

Como chegar: Acesso pedonal a partir do centro da cidade do Funchal.

Estacionamento: Não possui parque de estacionamento

Acessibilidade: A Casa-Museu Frederico de Freitas possui dois edifícios visitáveis e com diferentes níveis de acessibilidade. Na Casa da Calçada a mobilidade com cadeira de rodas não é total. Dos 15 espaços de exposição existem dois cujo acesso implica transpor um ou dois degraus. Os acessos ao Jardim e à Sala de Exposições Temporárias estão condicionados por lanços de escadas. A Casa dos Azulejos tem 4 pisos, todos acessíveis por elevador.

Terça a sábado das 10h00 às 17h30.

Encerrado ao público aos domingos, segundas e feriados.

Ingresso

Bilhete Normal - 3,00€

Isenções:

Crianças, estudantes, professores, sócios da APOM, ICOM, MINOM, jornalistas e profissionais de turismo.

Descontos:

Cartão Jovem e 3.ª Idade - 1,50 €
Grupos (mínimo 6 pessoas) - 2,50€

Receção/ Loja

Exposição permanente - dois percursos expositivos: A Casa da Calçada e A Casa dos Azulejos;

Exposições Temporárias;

Auditório - 49 lugares - Conferências, Palestras, Ciclos de Cinema;

Serviços educativos

Atividades: Visitas orientadas, atividades lúdicas, de expressão dramática, escrita, e/ou plástica relacionadas com o colecionador, as coleções e o Museu. Apresenta anualmente um Plano de Atividades que disponibiliza programas para professores, alunos, famílias, adultos, férias e efemérides. Sempre que necessário reajusta as iniciativas de acordo com as especificidades e características dos grupos.

Plano de Atividades:http://cultura.madeira-edu.pt/LinkClick.aspx?fileticket=XgOFWtBjNgQ%3d&tabid=188&language

Contactos: Helena Sousa e Fátima Gomes

Telef. + 351 291 202578 / Email: serv.edu.cmff.drac.srt@gov-madeira.pt .

• “Desdobrável da Casa-Museu Frederico de Freitas” (Folheto) • “Azulejaria na Madeira e na Coleção da Casa-Museu Frederico de Freitas” (Livro) • “As Canecas na Coleção da Casa-Museu Frederico de Freitas” (Livro) • “Exposição de Azulejos Dr. Frederico de Freitas” (Catálogo) • “Azul Sombra – Azulejos de Lourdes de Castro” (Catálogo) • “Vinte Ilustrações do Jornal de uma Visita à Madeira – Isabella de França – 1853-1854” (Reproduções de aguarelas) • “O Castelo do Pico da Baía do Funchal (1812)” (Reprodução de Gravura) • “Duas Flores da Ilha da Madeira (1845)” (Reprodução de Gravuras) • “Coleção de Azulejos” (Postais) • “Azulejos Holandeses” (Postais) • “Azulejos de Lourdes Castro” (Postais) • “Desenhos de Arquitetura – Casa-Museu Frederico de Freitas” (Postais) • “Desenho da Fachada da Casa-Museu Frederico de Freitas” (Postal) •"Sherlock Holmes encontra animais na Casa dos Azulejos" (Postais).

Actualizado em: 19 de março de 2014

Última actualização: 12 Agosto 2014

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC