Saltar para o conteúdo principal da página

Casa-Museu Abel Salazar

A Casa-Museu Abel Salazar, onde viveu o Mestre Abel Salazar durante 30 anos, abriu ao público em 1975 e alberga parte do seu vasto património artístico, científico e literário. Abel Salazar nasceu em Guimarães, em 1889, doutorou-se na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e morreu em Lisboa, em 1946.

A Casa-Museu Abel Salazar - património da Universidade do Porto - é dirigida pela Associação Divulgadora da Casa-Museu Abel Salazar, Associação sem fins lucrativos e de utilidade pública, criada em 1989. Após a morte de Abel Salazar, ocorrida em Lisboa a 29 de Dezembro de 1946, foi preocupação dos seus amigos preservar a memória do Mestre, para obstar à dispersão da obra que produziu. Por iniciativa do Professor Ruy Luís Gomes e com o patrocínio de grandes nomes da cultura, procurou-se criar a Fundação Abel Salazar, que as autoridades da época nunca permitiram que se constituísse legalmente. Para preservar a Casa, bem como o espólio de Abel Salazar, e vencer a sistemática oposição das autoridades da época, passou a constituir-se uma Cooperativa em 1963. O Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Dr. Azeredo Perdigão, conseguiu que aquela Instituição comprasse a Casa, em 1965, adquirisse a coleção de obras pertencentes à irmã, em 1971, executasse obras de restauro e adaptação da Casa a Museu, bem como a construção de um Pavilhão de Exposições, em 1975. Em 31 de Maio de 1975, a Fundação Calouste Gulbenkian fez a doação desta Casa-Museu à Universidade do Porto, tendo sido aberta definitivamente ao público nesse ano.

Contéudos da responsabilidade do museu e edição da DGPC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Associação Divulgadora da Casa-Museu Abel Salazar / Universidade do Porto
Director(a):
Maria Luísa Garcia Fernandes
Endereço:
Rua Dr. Abel Salazar 4465-012 S. Mamede de Infesta
GPS:
Lat: 41,200662898514516 Long: -8,61311333704839
Telf(s):
+351 22 903 98 27
Fax(s):
+351 229 010 827
E-mail:
cmuseu@reit.up.pt
Site:
http://cmas.up.pt/

Como chegar: De carro: A3 direção Valença/Braga/VilaReal, saída A4 Matosinhos/Aeroporto, saída Gueifães/S. Mamede de Infesta, 3ª saída Rua Godinho de Faria
Autocarros urbanos: A partir do Centro Histórico do Porto: Autocarro 600, paragem "Abel Salazar" na Av. Aliados

Estacionamento: Estacionamento acessível junto à Casa-Museu

Segunda a sexta das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h30

Sábados (exposições temporárias) das 14h30 às 17h30.

Todas as visitas são guiadas (marcação para grupos).

Encerra aos domingos e feríados.

Ingresso

Público geral - € 2,00 Euros Menores de 18 anos e maiores de 65 - € 1,00

Isenções:

Associados Individuais e Colectivos da ADMAS;
Mecenas institucionais;
Associados do ICOM, FAMP – Federação dos Amigos dos Museus de Portugal, mc2p – Associação de Museus e Centros de Ciência de Portugal, MuMa – Rede de Museus de Matosinhos, RPM - Rede Portuguesa de Museus;
Investigadores, Jornalistas e Profissionais de Turismo;
Professores e alunos de qualquer grau de ensino no âmbito de visitas de estudo.

Acolhimento

Receção e Loja

Exposição permanente da obra artística, científica e literária de Abel Salazar 

Centro de Documentação / Biblioteca -Especialização: cerca de 7200 obras, nomeadamente nas áreas da arte, da ciência, da filosofia, da história, da literatura, da medicina e da museologia. Manuscritos de Abel Salazar e de outras personalidades.

Responsável Mário André Fonseca Azevedo

Actividades: Visitas guiadas, ateliers e outras atividades, direcionadas preferencialmente a crianças e jovens, residentes e/ou estudantes no concelho de Matosinhos, com idades compreendidas entre os 6 e os 17 anos. 

• Desdobrável em português, francês e inglês • A Personalidade Artística de Abel Salazar, de Adriano de Gusmão (1948) • Catálogo Abel Salazar Artista (1989) • Abel Salazar Histologista, de A. Celestino da Costa (1970) • Abel Salazar na Pintura - Exposições Itinerantes - Museu dos Biscainhos, Braga (1998) - Câmara Municipal, Coimbra (1999) - Galeria Municipal, Aveiro (1999) - Sociedade Martins Sarmento, Guimarães (1999) - Arquivo Distrital, Vila Real (1999) - Museu Salvini, Cocquio/Trevisago/Itália (2000) • Abel Salazar: A Torrente, de Papiano Carlos (1989) • Abel Salazar: Retrato em Movimento, de Maria Luísa Garcia Fernandes, org. (1998) • Alberto Saavedra: no Centenário do seu Nascimento (1996) • Boletim da Casa-Museu Abel Salazar - N.º 1 (1996) - N.º 2 (1998) - N.º 3 (1999) - N.º 1, II Série (no prelo) • Documentos sobre a Morte de Abel Salazar, Afonso de Castro, 1994 • Para um novo perfil de Abel Salazar, Alfredo Ribeiro dos Santos, 1997 • Actas Seara Nova. Democracia/Razão/Europa: Textos e Contextos, 2001 • Duas Conferências sobre a Posição Actual da Ciência, da Filosofia e da Religião, Abel Salazar, 1989 • Catálogo Exposição Bibliográfica Neo-Realismo/Neo-Realismos, 1996 • Catálogo Exposição de Artes Plásticas Neo-Realismo/Neo-Realismos, 1996 • Catálogo Exposição Retrospectiva - Prof. Levi Guerra, 1996 • Na Abertura da Exposição Póstuma de Abel Salazar, Júlio Pomar, 1989 • Catálogo Nos 50 anos da Morte de Abel Salazar, 1996 • Notas para uma Biografia de Abel Salazar, Afonso de Castro, 1992 • Catálogo O Abade de Baçal e Abel Salazar: Nos 50 anos da sua Morte, 1996 • O Vale de Penacova de Eugénio Moreira, Abel Salazar, 1955 • Catálogo Seara Nova: Textos e Contextos, 1994 • Um Homem chamado Abel Salazar, Fernando Falcão, 1996 • Hematologia - Ideias e Factos Novos, Abel Salazar, 2000 • Notas de Filosofia da Arte, Abel Salazar, 2000 • Ensaio de Psicologia Filosófica, Abel Salazar, 2001 • Recordações do Minho Arcaico, Abel Salazar, 2002 • Que é Arte?, Abel Salazar, 2003 • Uma Primavera em Itália, Abel Salazar, 2003 • Catálogo Exposição - Retrato masculino, Fundação Cupertino de Miranda, 2003 •Catálogo Exposição - Paisagem, Fundação Eça de Queiróz, 2003 •Catálogo Exposição -Mulher trabalhadora, Casa de Camilo, 2003 •Catálogo Exposição -Mulher burguesa, auditóri Municipal de Vila do Conde, 2003 • Notas de Arte Portuguesa, de Abel Salazar (no prelo).

Actualizado em: 19 de março 2014

Última actualização: 12 Agosto 2014

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC