Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Camilo

A Casa de Camilo abriu ao público como “Museu Camiliano” em 1922. Residência construída no início do séc. XIX por um brasileiro de torna viagem, foi este o local onde Camilo Castelo Branco se instalou, em 1863, e onde escreveu a maioria das suas obras. Camilo suicidou-se nesta casa em 1 de Junho de 1890. Esta Casa-Museu conserva mobiliário que pertenceu a Camilo Castelo Branco e à sua família, utensílios de uso pessoal, bibliografia do escritor e sobre o escritor, obras pertencentes à biblioteca particular do romancista, cartas, recortes de imprensa de teor camiliano, exemplares periódicos e peças de iconografia. É de destacar o Centro de Estudos Camilianos associado à Casa-Museu.

A Casa de Camilo foi mandada construir nos inícios do séc. XIX por Manuel Pinheiro Alves, um brasileiro de torna viagem. Depois da sua morte, em 1863, Camilo veio instalar-se na mansão de Seide com Ana Plácido e aí permaneceu com certa regularidade. Aí escreveu a maioria das suas obras e suicidou-se em 1 de Junho de 1890. A casa sofreu um incêndio em 1915. Foi, depois, reconstruída para abrir ao público como “Museu Camiliano”, em 1922. No final da década de 40, procedeu-se à restituição da Casa à traça original e foi inaugurada pelo Prof. Marcelo Caetano, em 1958, passando a designar-se “Casa de Camilo”.

No sentido de dinamizar a ação didática e pedagógica da Casa de Camilo e de valorizar o vasto património da instituição, promoveu o Município de Vila Nova de Famalicão a construção de um vasto edifício, inaugurado em 1 de Junho de 2005, que compreende um auditório, salas de leitura e de exposições temporárias, gabinetes de trabalho, reservas e cafetaria, entre outros espaços, num amplo e belo conjunto concebido pelo Arquiteto Álvaro Siza Vieira.

As coleções da Casa de Camilo contam com mobiliário que pertenceu a Camilo Castelo Branco e à sua família nuclear, utensílios de uso pessoal, mais de 5000 volumes de bibliografia do escritor (originais, prefácios e traduções) e sobre o escritor (desde aspetos biográficos ou biobliográficos aos estudos fecundos de exegese literária), 787 obras pertencentes à biblioteca particular do escritor, cerca de 1900 cartas, milhares de recortes de imprensa de teor camiliano, uma centena de exemplares periódicos em que o escritor colaborou ou foi diretor e aproximadamente 1500 peças de iconografia diversa: escultura, pintura, provas fotográficas...

Conteúdos da responsabilidade do museu e editados pela DGPC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Município de Vila Nova de Famalicão
Director(a):
José Manuel Oliveira
Endereço:
Avenida de S. Miguel, 758, 4770-631 S. Miguel de Seide
GPS:
Lat: 41,3968988 Long: -8,463520199999948
Telf(s):
+351 252 327 186 / 252 309 750
Fax(s):
+351 252 309 759
E-mail:
geral@camilocastelobranco.org
Site:
http://www.camilocastelobranco.org/

Como chegar: De carro: A7 Guimarães
Autocarros urbanos: Autocarro (Famalicão – Seide)

Acessibilidade: Acesso a pessoas portadoras de deficiência.

Casa de Camilo

Terça a sexta das 10h00 às 17h30.

Sábados e domingos das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h30.

Encerrado ao público à segunda e feríados.

Centro de Estudos:

Segunda a sexta-feira das 10h00 às 17h30.

Sábados e domingos das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h30.

Ingresso

Entrada gratuita. Visitas em grupo com marcação prévia.

Isenções:

Entrada gratuita.



Biblioteca /Centro de Estudos Camilianos - O Centro de Estudos Camilianos tem procurado criar condições e estruturas que facultem e promovam a investigação e o estudo da vida e obra de Camilo Castelo Branco. Possui para consulta uma vasta bibliografia, epistolografia, e iconografia.

Catálogo bibliográfico online: OPAC http://62.28.75.250/opac/default.aspx?ContentAreaControl=AdvancedSearch.ascx

Arquivista - Paula Lamego

Exposição permanente

Visitas orientadas à casa do escritor

Empréstimo de exposições

Auditório (Capacidade para 140 lugares sentados, equipado com projector de DVD e equipamento de som)

Loja (Edições da Casa-Museu: Boletim da Casa de Camilo; volumes da coleção “Estudos Camilianos” ; Bibliografia de e sobre Camilo; Catálogos das exposições temporárias; Roteiros literários; Desdobráveis sobre o Museu em várias línguas); Serigrafias; Coleções de postais; DVDs sobre Camilo e o Museu; Peças de cerâmica; Marcadores de livros.

Cafetaria

Serviço Educativo

Mediante um diversificado conjunto de atividades composto por visitas orientadas, ateliês educativos, oficinas lúdicas, leituras encenadas, percursos pedestres e jogos variados cumpre-se o objetivo de dinamizar e estreitar as relações com os diferentes públicos-alvo de uma maneira sistemática e regular, e promove-se o melhor conhecimento do escritor Camilo Castelo Branco, das suas obras e das suas vivências, bem como a divulgação da Casa de Camilo enquanto instituição museológica.

Destinatários: alunos de diferentes níveis de ensino, famílias, público em geral.

Responsável: Elzira Queiroga

Actualizado em: 19 de março de 2014

Última actualização: 29 Setembro 2016

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC