Saltar para o conteúdo principal da página

Exposições De 14 de maio, às 18h30 a 29 de setembro

Rui Macedo | (In)dispensável ou A pintura que inquieta a colecção do museu

Inaugura no 14 de maio às 18h30 a exposição Rui Macedo. (In)dispensável ou A pintura que inquieta a coleção do museu.

Entrada pela Rua Serpa Pinto
A instalação pictórica de Rui Macedo, significativamente intitulada (In)dispensável ou A pintura que inquieta a colecção do museu, que estará patente no MNAC entre 15 de Maio e 29 de Setembro de 2019, com curadoria de Emília Ferreira, apresenta um conjunto de mais de duas dezenas de pinturas, concebidas para estabelecer um diálogo com a exposição Razões e Emoções.

Recordando-nos que um artista é um caçador-recoletor, um respigador de sentidos, de formas, problemas e propostas, esta exposição relembra-nos que um museu é um local de constante e inquietante descoberta. Não apenas porque as exposições vão mudando, mas também porque, mesmo que levemos toda uma vida a olhar para uma obra de arte, ela nunca deixará de nos surpreender. Nesta instalação, que analisa de perto uma escolha de obras da coleção do museu, Rui Macedo interpela alguns autores (Miguel Ângelo Lupi, Columbano Bordalo Pinheiro, Artur Loureiro ou Jorge Pinheiro), e brinca com a própria construção de uma exposição e com o seu edifício, jogando com o que se mostra e o que se esconde em cada obra, em cada coleção e em cada exposição, e em cada espaço. Rui Macedo recorta detalhes, seleciona, aponta, relaciona. E, ao fazê-lo, mostra-nos o que já vimos a uma luz nova.

A exposição será acompanhada por um catálogo com textos da curadora, de José Luís Porfírio e de Raphael Fonseca.

Biografia do artista

Organização:
MNAC/DGPC
Local:
Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, Lisboa